Rússia detalha oferta após 12 anos fora do mercado

Bônus de países emergentes sobem em dia que Grécia faz venda de bônus de curto prazo

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

20 de abril de 2010 | 19h23

Os títulos da dívida dos países emergentes subiram junto com modestos ganhos nas ações dos Estados Unidos e em meio à divulgação de detalhes de uma oferta global de bônus pela Rússia. 

O sentimento do mercado também foi ajudado pelo sucesso da venda de títulos de curto prazo da Grécia, o que serviu de alívio aos investidores em meio a persistentes temores quanto à capacidade do país de financiar sua dívida.

 

Depois de 12 anos ausente do mercado internacional de capitais, a Rússia anunciou hoje os detalhes de uma emissão de novos títulos de cinco anos a 125 pontos-base sobre os Treasuries e de um bônus de dez anos a 135 pontos-base sobre os títulos do Tesouro norte-americano. A transação será precificada na quinta-feira. Os bancos Barclays Capital, Citigroup, Credit Suisse e VTB Capital serão os líderes da emissão.

 

Os yields (taxas de retorno) baixos que a Rússia espera pagar sugerem que haveria grande interesse pelos bônus e que "deve haver alguma demanda além da dos players usuais", observou Daniel Tenengauzer, diretor de mercados emergentes e estratégia global de

câmbio do Bank of America Merrill Lynch.

 

Segundo Tenengauzer, os investidores provavelmente estão dispostos a aumentar sua exposição à Rússia, uma vez que seu regresso ao mercado internacional de bônus sinaliza que novas emissões estariam por vir, possivelmente dando ao país uma fatia maior em índices de referência (benchmark).

 

A Argentina, por sua vez, registrou hoje os termos de uma oferta de títulos na Securities and Exchange Commission (SEC, a CVM norte-americana), segundo a qual emitirá bônus Discount com vencimento em dezembro de 2003 e bônus Par com vencimento em dezembro de 2038, ambos denominados em dólares, euros e pesos. O país também emitirá um novo bônus global denominado em dólares com vencimento de 2017 e cupom de 8,75% para cobrir os juros acumulados dos títulos em default desde dezembro de 2003.

 

O prêmio de risco dos títulos cotados no Emerging Market Bond Index Global (Embig), elaborado pelo JPMorgan, caiu dois pontos-base para 247 pontos-base sobre os Treasuries, e avançou 0,14% no dia.

 

Os ganhos acentuados da Malásia e da Venezuela ajudaram na alta do índice, enquanto outros componentes apresentaram avanços marginais na sessão de hoje. As informações são da Dow Jones.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
emissãobônusemergentesRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.