Ryanair compra 16% da Aer Lingus e visa aquisição total

A companhia aérea Ryanair informou hoje que pretende arrematar a irlandesa Aer Lingus, após adquirir uma fatia de 16% na companhia. A oferta é de 2,80 euros por ação, avaliando a empresa em 1,48 bilhão de euros. A autoridade de regulação do mercado no país disse que ainda irá estudar os planos da Ryanair Holdings para adquirir a concorrente Aer Lingus Group.A compra da Aer Lingus poderá representar um investimento atraente para a Ryanair Holdings, segundo o chefe-executivo financeiro, Howard Millar. "Acreditamos que seja, obviamente, um bom investimento, pois se fosse ao contrário, não o faríamos. Acreditamos que, investindo na Aer Lingus teremos maiores retornos que deixando (o dinheiro) no banco", disse Millar.Millar informou que a Aer Lingus apresenta uma margem de lucro razoável, em torno dos 9%. Segundo ele, no momento, as duas companhias aéreas competem diretamente em cerca de 12 rotas, das 500 operadas pela Ryanair. Segundo o executivo, após a aquisição, a companhia pretende operar individualmente ambas as empresas, mantendo as frotas separadas. A Ryanair, também deve ficar com os cargos executivos da Aer Lingus, que atualmente emprega 3.500 funcionários, mas algumas demissões poderão ser necessárias, segundo Millar.Um porta-voz da Ryanair informou que o parecer sobre o negócio deverá ser fornecido diretamente pelo regulador na União Européia. Segundo o porta-voz, a autoridade irlandesa fará parte do conselho de investigação e outros estados envolvidos na negociação conduzirão, provavelmente, seus próprios estudos. Não se sabe, no entanto, se a oferta da Ryanair pela companhia, recentemente privatizada, terá o apoio do governo irlandês, que controla 34,8% das ações da companhia Aer Lingus.Para os funcionários, no entanto, o negócio pode não ser tão bom assim, segundo o sindicato irlandês Technical Union, ou SIPTU, cujos membros acreditam que a aquisição afetaria negativamente trabalhadores e clientes. "(A aquisição) possibilitaria à Ryanair que anulasse seu maior concorrente nas principais rotas, além de consolidar a dominância no mercado e ditar os preços que quiserem aos aeroportos, o que teria conseqüências negativas no longo prazo, tanto para os funcionários, como para o público", disse Jack O'Connor, presidente do sindicato, que representa mais de 200 mil trabalhadores do setor irlandês. Nesta quinta-feira, o Banco Societé Generale elevou a recomendação da Ryanair de manter para compra. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.