Ryanair pede aprovação de órgão antitruste para comprar Aer Lingus

A Ryanair Holdings, companhia aérea de baixo custo irlandesa, pediu que os reguladores antitruste da Comissão Européia aprovem sua proposta de fusão com a irlandesa Aer Lingus Group, de acordo com o site da autoridade européia. A comissão estabeleceu 6 de dezembro como prazo preliminar para aprovar o acordo ou lançar uma investigação profunda sobre possíveis problemas antitruste envolvendo a fusão. A Ryanair comprou 19% da Aer Lingus e está oferecendo 1,4 bilhão de euros (US$ 1,78 bilhão) pelo restante da companhia. Os analistas estimam que o acordo deve enfrentar intensa investigação antitruste, levando em conta que o grupo combinado vai controlar mais de 70% do mercado de vôos de curta distância na Irlanda.A Ryanair alega que as duas empresas teriam apenas 17 rotas - de um total combinado de 500 - que competem entre si. No entanto, segundo analistas esse número é maior se as cidades e não os aeroportos forem usados para descrever os pontos de chegada dessas rotas, embora a Ryanair normalmente voe para aeroportos menores.O porta-voz da comissão antitruste, Jonathan Todd, afirmou à Dow Jones Newswires no início do mês que "se o negócio (Ryanair-Aer Lingus) chegar até nós, vamos examinar com cuidado". "No passado avaliamos casos específicos, onde havia problemas (antitruste). Nesses casos, exigimos que as companhias aéreas vendessem alguns slots", acrescentou. A comissão forçou a Air France e a holandesa KLM a abrir mão de slots de pousos e decolagens em seus terminais em Amsterdã e Paris quando anunciaram a fusão, em 2004. A alemã Lufthansa AG e a suíça Swiss Air também tiveram que se desfazer de slots quando se fundiram no ano passado. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.