Sabesp lidera perdas, com -2,63%, após vetos a lei

As ações da Sabesp estão em queda na Bolsa de Valores de São Paulo, afetadas por 15 vetos à Lei do Saneamento Básico. A mensagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Congresso, com as razões dos vetos à lei que institui o marco regulatório do saneamento básico, foi publicada ontem no Diário Oficial da União. A lei foi sancionada pelo presidente Lula na semana passada. Embora especialistas apontem para vários benefícios do marco regulatório como um todo, os analistas preferiram se focar nos pontos que foram excluídos, sobretudo dois. O primeiro é o 54, que tratava de investimentos em água e esgoto com utilização de capital próprio que poderiam ser transformados em créditos para recolhimento de PIS/Cofins. O outro é o 56, que abrangia a utilização do FGTS para investir diretamente em Fundos de Investimentos e Participações em Fundos de Direitos Creditórios e outros fundos criados para investimentos em saneamento e infra-estrutura. Às 11h50, a ação ordinária da Sabesp caía 2,63%, cotada a R$ 259,00, acumulando perda de 11,60% no mês de janeiro. No período de 12 meses, porém, a ação registra ganho acumulado de 74%, já descontada a perda de hoje. O índice Bovespa abriu o pregão em alta, mas inverteu o sinal e operava em queda de 0,11% às 11h54, a 42.780 pontos. A ação da Sabesp era a maior queda do índice.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.