Sadia pode ser a 2ª maior exportadora mundial de carnes

O diretor de relações com investidores da Sadia, Luiz Murat, afirmou que, caso a oferta de compra das ações da Perdigão seja bem sucedida, a empresa resultante será a segunda maior exportadora mundial de carnes e a quarta maior exportadora do Brasil. Em teleconferência com analistas realizada hoje, ele argumentou que a operação possibilitaria a formação de um competidor de tamanho suficiente para participar do mercado mundial, considerando que empresas internacionais de carne já iniciaram negociações para se estabelecer no Brasil."Existem mega competidores que não nos deixam acessar novos mercados." Murat afirmou também que a operação visa a aproveitar oportunidades internacionais. Ele não cogita a possibilidade de produção fora do País, em razão dos custos brasileiros competitivos, porém acredita que é possível alguma iniciativa em manufatura e distribuição.O diretor explicou que, para o cálculo do preço ofertado pelas ações da Perdigão, a Sadia realizou dois laudos de avaliação. "O valor econômico é este, feito com base em informações públicas." Segundo ele, o valor proposto é condizente com o da Perdigão e não será revisto. "Para a Sadia, o preço é fixo e definitivo."Dado o nível de endividamento que a Sadia teria após comprar a Perdigão, uma vez que o ABN deve fazer um empréstimo de R$ 2,7 bilhões, a empresa pretende tomar alguma medida na seqüência para reduzir a alavancagem. "Todos sabem que a Sadia não gosta deste nível de dívida", disse. Ele não descartou a possibilidade de fazer alguma chamada de capital.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.