SDE investiga suposto cartel de cimento e concreto

A Secretaria de Direito Econômico (SDE), do Ministério da Justiça, anunciou hoje a abertura de uma investigação contra oito empresas das áreas de produção de cimento e concreto que estão sob suspeita de prática de cartel. Serão investigadas também duas associações e quatro executivos de empresas. As oito empresas sob suspeita são: Votorantim Cimento, Camargo Correa Cimentos, Lafarge Brasil, Companhia de Cimentos do Brasil, Holcim Brasil, Itabira Agro Industrial (Grupo Nassau), Soeicom e Companhia de Cimento Itambé.As associações sob investigação são a Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Concretagem (Aberc) e a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP). Os executivos sob suspeita são: Anor Pinto Filipi, Renato Giusti e Marcelo Chamma, todos da Votorantim, e Sérgio Bandeira Camargo Corrêa, da Camargo Corrêa.A titular da Secretaria de Direito Econômico, Mariana Tavares, disse esta tarde, ao anunciar a abertura da investigação, que os indícios de formação de cartel apontam para uma divisão regional de mercado pelas empresas, fixação de preços e troca de clientes entre as empresas. Mariana Tavares afirmou que, se for confirmada a prática de cartel, o prejuízo decorrente pode ter afetado todo o setor de construção civil no País. "Até o momento, temos peças e indícios, e a investigação terá a tarefa de montar o quebra-cabeça", disse a secretária. Ela informou que a abertura da investigação foi possível depois que a SDE encontrou um ex-funcionário da empresa Votorantim que trabalhou como gerente de vendas na Região Sul e denunciou o que se suspeita sejam práticas de cartel.No início de fevereiro, depois de conseguir um mandado judicial, a SDE realizou com a Polícia Federal e o Ministério Público uma operação de busca e apreensão nas sedes de seis das empresas suspeitas e recolheu documentos e computadores. Segundo Mariana Tavares, a SDE não pode ainda comentar o teor desses documentos apreendidos por estarem sob sigilo de Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.