SEC aprova acompanhamento em tempo real para monitorar mercados

A Securities and Exchange Commission (SEC, a CVM norte-americana) aprovou por 5 votos a 0 uma proposta para que seja desenvolvido um mecanismo unificado de acompanhamento dos mercados para armazenar, vigiar e analisar dados de transações.

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

26 de maio de 2010 | 16h43

A queda repentina dos mercados de ações norte-americanos, ocorrida em 6 de maio, aumentou a pressão sobre a SEC para acelerar a criação de um mecanismo unificado de acompanhamento dos mercados.

Pela proposta aprovada hoje, será exigido das bolsas norte-americanas que repassem eletronicamente aos reguladores dados para que se possa agregar e cruzar informações de mercado em tempo real através de múltiplas plataformas.

Atualmente, as bolsas monitoram individualmente as transações realizadas dentro de seus mercados. Os reguladores, no entanto, não têm facilidade de acesso a dados de operações de arbitragem.

A SEC afirma que o novo sistema de cruzamento de dados - uma trilha de auditoria consolidada (gravação dos detalhes do uso de um sistema anotando as transações executadas, usada para verificação de uso ilegal ou mal funcionamento) que coleta e agrega dados do mercado em tempo real - teria possibilitado aos reguladores realizar com rapidez uma reconstituição da situação dos mercados em um episódio como o de 6 de maio, quando o índice Dow Jones caiu quase mil pontos em questão de poucos minutos antes de ensaiar uma recuperação parcial das perdas.

Tal proposta tem um preço. Funcionários da SEC calculam que o custo inicial desse arquivo de dados seria de US$ 4 bilhões. O custo anual de manutenção do sistema e de vigilância dos mercados seria de US$ 2,1 bilhões, segundo as estimativas de SEC.

Segundo Luis Aguilar, um dos integrantes da SEC, o novo arquivo "pode gerar algo na ordem de 100 gigabytes de dados por dia".

Na semana passada, Mary Schapiro, presidente da SEC, manifestou a uma comissão do Senado a esperança de que o sistema melhore a capacidade da comissão norte-americana de valores mobiliários de obter em tempo real a maior parte dos dados necessários para reconstituir situações como a de 6 de maio.

O sistema também seria usado pelos reguladores para inspeções e análises de rotina. "Isto nos permitiria reconstituir rapidamente as atividades de negócios e analisar rapidamente tanto situações suspeitos como eventos incomuns", declarou Schapiro nesta quarta-feira. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
açõesbolsaEUASEC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.