SEC aprova ampliação de circuit-breaker para ações

As bolsas dos EUA pretendem até 8 de agosto implementar a suspensões temporárias

Danielle Chaves, da Agência Estado ,

24 de junho de 2011 | 16h41

A Securities and Exchange Commission (SEC, a comissão de valores mobiliários dos EUA) aprovou uma grande expansão das proteções que são destinadas a evitar outro "flash crash". Com isso, as bolsas de valores poderão implementar os chamados "circuit-breakers" para cada ação norte-americana.

As bolsas dos EUA pretendem até 8 de agosto implementar a suspensões temporárias nos negócios com ações que se movam rapidamente e ainda não sejam cobertas pelo regime dos atuais circuit-breakers, criados há um ano para evitar as fortes oscilações de preços vistas em 6 de maio - um flash crash.

As bolsas e os reguladores estão debatendo o formato de um sistema novo e mais flexível de limites para substituir os circuit-breakers atuais, mas a ampliação do programa já existente a partir de agosto vai fornecer proteção para mais ações enquanto o sistema novo não é finalizado.

Os circuit-breakers suspendem brevemente os negócios com uma ação particular ou com fundos negociados em bolsa (ETF) se o preço dos ativos subirem ou caírem 10% ou mais em um período de cinco minutos. Atualmente são cobertos pelo programa as ações no índice Standard & Poor's 500 e no índice Russell 1000, além de 344 dos ETFs mais negociados.

A expansão, aprovada ontem de acordo com a SEC, abrange todas as ações listadas nas bolsas dos EUA, mas permitirá oscilações mais amplas nos preços antes de os negócios serem suspensos. Ações ou ETFs com valor acima de US$ 1 serão suspensas depois de uma alta ou queda de 30% ou mais em um período de cinco minutos. Ativos com valor abaixo de US$ 1 serão suspensos após oscilações de 50% ou mais no mesmo intervalo. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.