SEC e CFTC estudam seis hipóteses para queda de 6/5

Reguladores da Securities and Exchange Commission (SEC, a CVM norte-americana) e da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC, na sigla em inglês) analisam seis hipóteses para a rápida queda acentuada dos mercados de ações dos Estados Unidos em 6 de maio - o chamado "flash crash" -, mas ainda não estabeleceram uma causa específica para o incidente, segundo rascunho de um relatório ao qual a Dow Jones teve acesso.

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

18 de maio de 2010 | 19h18

O documento baseia-se em constatações feitas a partir da análise dos dados dos negócios realizados na tarde em que o índice Dow Jones caiu quase mil pontos antes de ensaiar uma recuperação parcial antes do fechamento.

Apesar de não ter sido isolada uma causa específica para o incidente, os investigadores estão especialmente interessados nos negócios envolvendo contratos e-mini atrelados ao índice de ações S&P-500, cujas movimentações estão bastante ligadas ao comportamento volátil do mercado no momento de maior turbulência.

O rascunho sugere que uma falta de liquidez teria importante participação na dramática e repentina queda no preço dos índices futuros de ações. O documento afirma, no entanto, que os reguladores da SEC e da CFTC ainda estão tentando determinar se a atividade de um mercado provocou movimentação em outros.

O texto também observa que o uso de ordens de stop-loss, que envolvem ordens automáticas de venda programada a preços inferiores ao valor de mercado, pode ter drenado a liquidez do sistema. Um mercado em queda rápida e acentuada pode provocar uma reação em cadeia de vendas automáticas. Os reguladores investigam se isso teria acontecido em 6 de maio.

Outros aspectos investigados pelos reguladores são o uso de stub quotes, uma espécie de cotação simulada, e os motivos pelos quais os ETF (exchange-trade funds), fundos negociados como ações, apresentaram um número desproporcional de negócios desfeitos em comparação com outros ativos.

Dos negócios desfeitos entre as 14h45 e as 14h50 locais de 6 de maio, cerca de 70% eram vendas a descoberto de execuções de stub quotes; nos cinco minutos seguintes, essa taxa alcançou 90%. Esse tipo de transação não será permitido quando entrarem em vigor as novas regras da SEC, segundo o relatório. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
açõesbolsaEUASECCFTCcircuit breaker

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.