SEC estuda regras para evitar que bancos mascarem dívida

Investigador diz que Lehman usou truque de contabilidade para mascarar cerca de US$ 50 bi em dívidas

Danielle Chaves, da Agência Estado,

20 de abril de 2010 | 14h45

A presidente da Securities and Exchange Commission (SEC, comissão de valores mobiliários dos EUA), Mary Schapiro, afirmou que a agência está estudando novas regras para evitar que as empresas financeiras mascarem dívidas por meio de manobras contábeis. A afirmação foi feita durante audiência na Câmara dos Representantes dos EUA sobre o colapso do Lehman Brothers, em 2008.

 

Um investigador nomeado para analisar o colapso do banco de investimento afirmou no mês passado que o Lehman usou um truque de contabilidade para mascarar cerca de US$ 50 bilhões em dívida. Os legisladores estão querendo saber porque os órgãos reguladores dos EUA não examinaram mais de perto o balanço financeiro do Lehman quando ficou claro que a instituição estava com problemas.

 

Schapiro não estava na SEC na época do colapso do Lehman. Agora a SEC está questionando quase duas dúzias de empresas financeiras e de seguro sobre como elas usam suas vendas temporárias, conhecidas como acordos de recompra, para facilitar a liquidez.

 

Também participam da audiência o secretário do Tesouro dos EUA, Timothy Geithner; o presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke; o investigador nomeado judicialmente para analisar a concordata do Lehman, Anton Valukas; e o ex-executivo-chefe do banco de investimento, Richard Fuld. As informações são da Dow Jones.

 

Tudo o que sabemos sobre:
EUASECLehmanGoldmanfraude

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.