Setor de maquinário lidera queda do Nikkei 225

O governo japonês divulgou nesta tarde (horário local) que os pedidos do setor de maquinário caíram 16,7% em julho, baixa muito maior do que os 5,6% projetados pelos economistas locais. Como conseqüência desse anúncio, o índice Nikkei 225, da Bolsa de Tóquio, encerrou o dia em baixa de 1,8%, aos 15.794 pontos, depois de ter subido 68,05 pontos na sexta-feira. Nobuyuki Nagamori, gerente-geral da Yamamaru Securities, disse que os investidores acreditam que o Nikkei 225 pode cair ainda mais, caso haja dificuldade para voltar à alta registrada semana passada. ?Se demorar um dia ou dois para que o índice se recupere da queda de quinta-feira, os investidores podem ver a alta da semana passada como a maior, por ora?, afirmou. Na semana passada, o índice deu indícios de estar seguindo uma tendência de alta, mas os ganhos não foram mantidos e houve queda de 271 pontos, para 16.012 pontos, na quinta-feira. Para Nagamori, se não houver recuperação para níveis entre 16.300 e 16.400 pontos no curto prazo, o fato poderá ser entendido como uma nova tendência de queda. As empresas do setor de maquinário lideraram as perdas do dia, após o anúncio do governo. Fanuc caiu 2,1% e Okuma teve baixa de 4,4%. Makiko Milling Machine fechou em queda de 4,2%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

11 de setembro de 2006 | 06h42

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.