Setor imobiliário lidera alta de 0,9% em Hong Kong

Empresas do setor imobiliário lideraram os ganhos em Hong Kong nesta sexta-feira com a decisão dos investidores de trocar os papéis financeiros relacionados a empresas chinesas - após os recentes ganhos - por ações desse setor. O índice Hang Seng avançou 0,9%, acumulando ganhos de 1,3% na semana. Sun Hung Kai Properties subiu 6,6%, o mesmo aumento porcentual das ações da New Development World Development. Cheung Kong Holdings teve alta de 4,3%. Já China Life Insurance recuou 3,3% e Ping An Insurange caiu 9%. Commodities também sofreram realização de lucros. China Shenhua caiu 5,1% e Chalco teve baixa de 4,7%. Depois de sete pregões consecutivos de alta, o mercado chinês sofreu realização de lucros. As perdas, porém, foram limitadas pelo bom desempenho de empresas do setor de energia. O Xangai Composto registrou baixa de 2,7%. Já o Shenzhen Composto subiu 1,5%. Dentre as maiores quedas, Bank of China chegou ao limite de baixa de 10%. Banco Industrial e Comercial da China (ICBC, na sigla em inglês) teve perdas de 9,9%. Esse resultado afetou o desempenho de concorrentes menores como Hua Xia Bank (-8,2%), Shenzhen Development Bank (-7,4%) e China Misheng Banking (-5,9%). Já papéis do setor elétrico foram no sentido contrário. Huadian Power International subiu 10%, o mesmo porcentual de aumento das ações da Huaneng Power International. O yuan ficou estável e no fim do dia o dólar estava cotado a 7,8090 yuans no sistema automático de preços, de 7,8070 yuans de quinta-feira. Essa estabilidade é resultado da confusa performance da moeda americana no mercado internacional. A Bolsa de Taiwan fechou em queda de 1,3% (aos 7.835,57 pontos) com a contínua realização de lucros, depois de o mercado não ter conseguido chegar ao nível de 8 mil pontos. Chinese Bank caiu 6,8% e Mega Financial recuou 3,3%. Mas ?o sentimento do mercado não está tão ruim quanto parece e esperamos que o lançamento do Windows Vista ajude as empresas produtoras de chips e de computadores de maneira que os compradores retornem quando o índice cair abaixo dos 7.800 pontos?, disse Diana Wu, da Capital Securities. Em Seul, o índice Kospi registrou baixa de 0,8%, em um pregão de volume moderado. O mercado foi afetado pelas baixas previsões de lucros de fabricantes de monitores de computador e pelas restrições de financiamento para o setor imobiliário. Samsung SDI recuou 4,2% e Hana Financial caiu 2,6%. O Kospi registrou baixa de 3,4% na semana. O mercado filipino teve grande volume de negociações em razão de várias vendas cruzadas. O índice PSE Composto da Bolsa de Manila caiu 0,5%. Segundo Rommel Macapagal, chairman da Westlink Global Equities, os investidores decidiram realizar lucros antes do final de semana, em parte influenciados pela baixa de 1,4% nos ADRs da PLDT ontem. Os papéis da empresa registraram queda de 1,2%, seguida por Ayala Corp., que recuaram 2,7%. A queda dos preços de minérios e petróleo no mercado australiano nesta sexta-feira fez com que o principal índice da Bolsa de Sydney registrasse sua terceira baixa consecutiva. O S&P/ASX 200 caiu 0,2%, para 5.572. BHP recuou 0,9%. Os preços do cobre na London Metal Exchange caíram 2,5% ontem e o valor do metal em Xangai atingiu a cotação mínima. Woodside Petroleum caiu 1,9% e Newcrest Mining teve baixa de 1,8% seguindo as quedas do ouro e do petróleo ontem. Já os papéis da QBE Insurance avançaram 4,6%, depois de ter adquirido a Winterthur U.S. Holdings. Na Malásia, o índice composto de 100 blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur fechou em alta de 0,2%. O Strait Times da Bolsa de Cingapura ganhou 0,17% no encerramento dos negócios e os JSX Composto, da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, fechou em alta de 0,46%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.