Setor industrial chinês pesa e leva bolsas asiáticas para o vermelho

Taxa de recuperação da maior economia da Ásia ganhou atenção dos investidores nos últimos meses

23 de abril de 2013 | 06h49

Os mercados de ações da Ásia fecharam em queda nesta terça-feira, uma vez que os dados do setor industrial da China pesaram sobre os pregões.  O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) preliminar do setor industrial da China, medido pelo HSBC, caiu para 50,5 em abril, de 51,6 em março. Um resultado acima de 50 indica expansão na atividade industrial.

O PMI industrial é importante porque diz respeito ao primeiro lote de dados econômicos da China para abril. A saúde da maior economia da Ásia está em foco nos últimos meses, uma vez que o mercado em geral tem se decepcionado com a taxa de recuperação após a desaceleração do ano passado. Na semana passada, os dados sobre o crescimento da China no primeiro trimestre ficaram abaixo das expectativas, levando a uma nova rodada de vendas para as ações chinesas.

Na sessão desta terça-feira, as ações da China caíram acentuadamente. O índice Xangai Composto perdeu 2,6%, terminando o pregão com 2.184,54 pontos, enquanto o índice Hang Seng, de Hong Kong, cedeu 1,1%, aos 21.806,61 pontos. O índice Shenzhen Composto recuou 2,7%, para 923,42 pontos.

Os investidores também estavam digerindo os ganhos de grandes empresas chinesas. A China Mobile caiu 0,9% em Hong Kong depois que a empresa de telecomunicações informou um lucro líquido praticamente estável no primeiro trimestre em comparação com um ano antes.

Também em Hong Kong, a Anhui Conch Cement caiu 3,3%, após registrar uma queda de 22% do lucro líquido no primeiro trimestre ante o mesmo período do ano anterior.

As ações na Austrália reduziram os ganhos anteriores após a divulgação dos dados chineses. O índice S&P/ASX 200 avançou 1%, para 5.016,20 pontos.

Os papeis de mineradoras locais, que são dependentes da demanda chinesa por commodities, caíram, enquanto as ações em setores de alto retorno ao investidor - como finanças e telecomunicações - sustentaram o mercado.

A BHP Billiton perdeu 1,1% e a Rio Tinto caiu 2,3%, enquanto a Austrália & New Zealand Banking Group ganhou 2,4% e a Telstra Corp subiu 1,6%.

A Woodside Petroleum avançou 9,7% em Sydney depois de a companhia petrolífera informar que pagará seus investidores através de um dividendo especial.

Na Coreia do Sul, o PMI chinês também pesou sobre a Bolsa de Seul, levando o índice Kospi Composto a uma queda de 0,4%, para 1.918,63. Além dos dados da indústria da China, o enfraquecimento da moeda japonesa para um valor próximo a 100 ienes por dólar também prejudicou o sentimento dos investidores.

O índice Taiwan Weighted perdeu 0,3%, a 7.942,77 pontos, devido à realização de lucros na TSMC, que caiu de 2,3% após duas sessões de ganhos. Segundo especialistas, os investidores estão esperando os resultados corporativos do 1º trimestre de grandes empresas locais e dos EUA, como a Apple.

A Bolsa de Manila, nas Filipinas, também fechou em queda com realização de lucros, após fortes altas nas sessões anteriores. O índice PSEi cedeu 1,9%, aos 6.982,36 pontos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ÁSIABOLSAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.