Shopping é cada vez mais opção de lazer

O poder de atração que os shoppings centers exercem sobre o consumidor interessado em lazer e serviços é cada vez maior. "Ir às compras ainda é a principal atividade de quem vai a um shopping, mas o volume de pessoas que buscam esses locais para passear e buscar serviços chama a atenção", diz o presidente da Associação Brasileira de Shoppings (Abrasce), Paulo Malzoni Filho.Uma pesquisa feita em seis capitais onde se concentram 38% dos shoppings do País, com cerca de 4 mil entrevistados, revela que o porcentual somado daqueles que dizem ir ao shopping para passear, buscar serviços e freqüentar a praça de alimentação chega a 41%. "É quase igual ao porcentual (38%) daqueles que afirmam ir ao shopping apenas para comprar. Significa que o shopping hoje assumiu o papel de centro de convivência, substituindo a praça de antigamente",diz Malzoni.Em Belo Horizonte (MG), por exemplo, 26% dos entrevistados vão ao shopping apenas para passear. Em São Paulo, o maior interesse ainda são as compras para 44% dos entrevistados, de acordo com o levantamento.A pesquisa feita pela Abrasce para mostrar o perfil e os hábitos de consumo dos clientes de shopping mostra que a maioria dos freqüentadores (71%) pertence às classes A e B. Mas, aos poucos, os locais com perfil mais popular atraem um número maior de consumidores. Em Salvador (BA),46% dos freqüentadores são das classes C e D.Cerca de 60% dos entrevistados vão ao shopping uma vez por semana, gastam aproximadamente 73 minutos na visita, passam em média por duas lojas e, quando entram em alguma delas, 56% acabam comprando algum produto. O gasto médio por visita ao shopping com base nos consumidores que fizeram compras é de R$ 95. A idade média dos clientes é de 30 anos. A maioria, 45%, tem entre 17 e 29 anos. Na área de lazer, entre os que vão ao cinema, 55% também vão à praça de alimentação, 10% vêem vitrines e 10% fazem compras.Uma radiografia do setor mostra que existem no País 315 shoppings centers e que 47% estão realizando algum tipo de expansão. A maioria abre aos domingos e para 27% dos shoppings esse dia representa o primeiro ou segundo dia em faturamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.