Siderperú faz parte da estratégia regional da Gerdau

A compra do controle acionário da Siderperú pela Gerdau, na semana passada, tem o sentido de ampliar a presença geográfica do grupo na costa do Oceano Pacífico, comentou hoje o presidente do conglomerado siderúrgico, Jorge Gerdau Johannpeter."São ocupações de território para atender ao mercado latino-americano", acrescentou o empresário, que participou da solenidade de abertura do 7º Congresso Internacional da Qualidade para Competitividade, em Porto Alegre. A Gerdau adquiriu o controle da Siderperú, localizada ao norte de Lima, a capital do Peru, por US$ 60,6 milhões. A empresa vende anualmente cerca de 360 mil toneladas de produtos acabados.Questionado sobre os planos do grupo na China, Johannpeter lembrou que a Gerdau avalia oportunidades de parceria no país asiático há mais de um ano, onde seu interesse são os aços especiais. Uma equipe técnica pesquisa as oportunidades de associação com parceiros locais, uma exigência do governo chinês.As possibilidades são muitas, observou Johannpeter, e o maior desafio é acertar a mais adequada, avaliou ele. Embora o trabalho na China seja uma experiência nova, a Gerdau já esteve associada a grupos da região, lembrou Johannpeter, como na parceria com a NatSteel, de Cingapura, na Açominas.O presidente da Gerdau citou que as unidades de aços especiais na China têm capacidade entre 500 mil e 1 milhão de toneladas anuais. Ele considerou mais provável começar a participação no país por uma unidade de 500 mil toneladas. Sobre a sucessão no comando do grupo, Johannpeter reiterou a previsão de deixar a presidência executiva entre o final de 2006 e o começo de 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.