Sindicato do ABC recusa acordo com a Volkswagen

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC informa que, após a realização de cinco assembléias hoje, os trabalhadores decidiram manter a decisão de não aceitar acordo com a Volkswagen. Segundo a entidade, os empregados não admitirão a reestruturação proposta pela Volks em maio, caso isso resulte em demissões e corte de direitos. O presidente do sindicato do ABC, José Lopez Feijó, criticou a posição do Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, que aceitou acordo com a montadora. Os quatro sindicatos que representam empregados da empresa são do ABC, Taubaté e São Carlos, em São Paulo, e de São José dos Pinhais, no Paraná.?Fiquei bastante chateado porque entendo que, se nós tivéssemos persistido na unidade entre os quatro sindicatos, a chance de um acordo bom para os trabalhadores aumentaria muito", declarou, em nota. Segundo Feijó, o acerto fechado em Taubaté não serve de referência para o ABC. "Continuamos abertos para o diálogo com a empresa, desde que a lógica seja a construção de uma opção que não implique demissões."A Volks anunciou ontem que a matriz na Alemanha aprovou novos investimentos em Taubaté, sem detalhar os números.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.