Só cinco ações sobem e Ibovespa termina na mínima

Bolsa foi pressionada pela queda das ações da Petrobrás e pelo mau desempenho dos mercados de NY  

Claudia Violante, da Agência Estado,

26 de agosto de 2013 | 17h33

A última segunda-feira de agosto foi de realização de lucros na BM&FBovespa. Inicialmente conduzida pela queda das ações da Petrobrás, a perda ganhou força no fim da sessão, quando as bolsas dos Estados Unidos também viraram para o vermelho. A agenda esvaziada foi a deixa para os investidores embolsarem parte dos lucros recentes.

O Índice Bovespa (Ibovespa) terminou o dia na mínima pontuação do dia, em baixa de 1,41%, aos 51.429,48 pontos. Na máxima, registrou 52.398 pontos (+0,39%). No mês, acumula ganho de 6,62% e, no ano, queda de 15,62%. O giro financeiro foi o segundo menor do mês, ao totalizar R$ 5,211 bilhões. Os dados são preliminares.

Um profissional afirmou que o desempenho da Petrobrás penalizou o Ibovespa por causa da ausência de uma confirmação de que o tão esperado reajuste dos combustíveis para a estatal virá. Petrobrás ON caiu 2,06% e PN, 1,94%.

Vale, que operou em alta em grande parte do dia, virou para o território negativo à tarde e adicionou pressão baixista ao índice, bem como a inversão, também para o vermelho, das bolsas dos EUA. Vale ON caiu 0,61% e PNA, 0,25%. Nos EUA, o Dow Jones teve baixa de 0,43%, aos 14.946,46 pontos, o S&P recuou 0,40%, 1.656,78 pontos, e o Nasdaq ficou praticamente estável, com -0,01%, aos 3.657,57 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
Bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.