Solvay afirma que colaborará com Cade e Braskem

O Grupo Solvay afirmou nesta tarde, em nota, que "continua totalmente comprometido em cooperar com a Braskem e o Cade" com o objetivo de concluir a operação pela qual a petroquímica brasileira Braskem adquire 70,59% da Solvay Indupa, também conhecida como Solvay Indupa Argentina.

LUCI RIBEIRO, Agência Estado

24 de junho de 2014 | 14h34

A manifestação do grupo ocorre depois que a Superintendência Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) recomendou ao Tribunal do órgão a impugnação do negócio por entender que ele "criaria um monopólio" da Braskem nos mercados de PVC-S e PVC-E, utilizados principalmente no setor de construção civil.

De acordo com a Superintendência, a operação também elevaria a concentração no mercado de soda cáustica, usada em indústrias de papel e celulose, metalurgia e petroquímica, que passaria a contar com a presença de apenas três fortes concorrentes no País.

Pela manhã, a Braskem também divulgou nota discordando da conclusão da Superintendência e afirmando que irá apresentar sua manifestação no prazo de 30 dias para obter a aprovação da operação pelo plenário do Cade. A Braskem afirmou ainda seguir confiante de que a aquisição da Solvay Indupa será aprovada pelo Cade.

A recomendação pela impugnação da operação consta de despacho publicado hoje no Diário Oficial da União. O negócio, anunciado em dezembro do ano passado, está avaliado em US$ 290 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:
SolvayCadeBraskem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.