Suspeita de tentativa de quebrar a Varig reabre CPI

A CPI da Varig na Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) será reiniciada na próxima semana com o objetivo de comprovar uma suspeita levantada durante a sua primeira fase, iniciada em setembro do ano passado. Segundo o presidente da comissão, deputado Paulo Ramos (PDT-RJ), há indícios de que teria havido uma tentativa de quebrar a companhia."Vamos caminhar para as conclusões. Há uma suspeição de que houve um plano para destruir a Varig, por parte do governo federal e da concorrência, tanto das empresas nacionais quanto internacionais", afirma Ramos. Na primeira fase da CPI, foram ouvidas cerca de 40 pessoas, entre executivos, advogados e investidores ligados à Varig.A CPI da Varig foi encerrada em dezembro, mas os seus integrantes conseguiram colher assinaturas para a continuidade dos trabalhos. As sessões da CPI serão realizadas às quintas-feiras, na Alerj. Os próximos convocados para o dia 22 são o atual gestor judicial da Varig que permanece em recuperação judicial, Miguel Dau, e o primeiro administrador judicial do processo de recuperação da empresa, João Cysneiros Vianna.O juiz Luiz Roberto Ayoub, responsável pela recuperação judicial da Varig, também deverá ser convocado, mas a data ainda não foi definida. Os integrantes da CPI não chegaram a um acordo para decidir se o depoimento de Ayoub será aberto ao público ou se será sigiloso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.