Sydney se recupera e tem alta; HK cai 0,7%

As bolsas asiática, à exceção de Hong Kong e Jacarta, tiveram desempenho positivo. O destaque foi para as bolsas chinesas, que atingiram recordes de pontos devido ao otimismo com os balanços das empresas. Em Sydney, o mercado recuperou as perdas das últimas quatro sessões com a alta dos preços das commodities minerais. O índice S&P/ASX 200 da Bolsa de Sydney, na Austrália, terminou com alta de 1,6%. A recuperação no preço das ações foi liderada pelas mineradoras. BHP Billiton atingiu valorização de 3,5%, apesar de a cotação do cobre na Bolsa de Metais de Londres ter ficado praticamente inalterada. As cotações do zinco e do níquel em Londres caíram, mas as ações da Zinifex avançaram 4,5% e as da Minara, 4%. Os papéis da distribuidora de energia Alinta dispararam 13% depois de a empresa anunciar que estuda uma proposta de compra feita por seus administradores. A continuidade de realizações de lucros em companhias financeiras chinesas levaram a Bolsa de Hong Kong a baixo do nível psicológico dos 20.000 pontos. Uma correção no mercado de ações está a caminho, disseram operadores, porque muitos papéis estão sobrevalorizados, após o acúmulo de ganhos recentes.A forte estréia da seguradora China Life Insurance na Bolsa de Xanghai falhou na indicação da tendência, acrescentaram. O índice Hang Seng fechou em baixa de 0,7%, a 19.898,08 pontos. Os papéis H da China Life Insurance listados em Hong Kong fecharam em queda de 4,7%, após terem subido 7% na abertura, seguindo o espetacular desempenho na estréia na China. Ping An Insurance caiu 4,3% e China Construction Bank perdeu 3,5%. Bank of China recuou 2,4%; Sun Hung Kai Properties, 1,9%; Cheung Kong, 1,6%. Mas Hang Lung Properties subiu 3,9%. O principal índice da Bolsa de Xangai, na China, atingiu o nível recorde de fechamento, impulsionado pelas boas perspectivas para os balanços corporativos do ano passado e pela estréia na bolsa da seguradora China Life Insurance, cujo desempenho neste primeiro dia de negócios superou as expectativas. O índice Xangai Composto subiu 3,7% e fechou aos 2.807,80 pontos, o maior total de pontos já alcançado pelo índice. O Shenzhen Composto teve alta de 2,6%. A fabricante de carros pequenos Chongqing Changan Automobile Co. alcançou o limite diário de valorização de 10%, após anunciar que seu lucro no ano passado deve ser mais do que o triplo do obtido em 2005. A Citic Securities, quinta maior corretora chinesa, atingiu alta de 6% depois de divulgar que seu lucro mais do que quadruplicou no ano passado. A expectativa de fortes ganhos também apoiou outras blue chips, como Baoshan Iron & Steel (+6,4%) e China Petroleum & Chemical (+10%). As ações da China Life fecharam a 38,93 yuans, mais que o dobro do preço da oferta inicial, de 18,88 yuans, e acima da previsão dos analistas, de 30 yuans. No mercado cambial, o fim da valorização do dólar frente ao euro permitiu que o yuan retomasse sua tendência de alta. No sistema automático de preços, às 5h30 (hora de Brasília), o dólar valia 7,8070 yuans, contra 7,8170 yuans no fechamento de ontem. Após dois dias de queda, a Bolsa de Taipé, em Taiwan, recuperou-se e fechou em alta. O índice Taiwan Weighted subiu 0,7%, liderado pelos setores de tecnologia e de bancos. O mercado já absorveu as preocupações em torno da crise no conglomerado Rebar Group e o governo comprou o Chinese Bank, uma das subsidiárias do grupo, depois que outras duas subsidiárias solicitaram a reestruturação de suas dívidas. O índice Kospi da Bolsa de Seul, na Coréia do Sul, fechou com alta de 0,3%, liderado por ações de bancos, construtoras e empresas de tecnologia. O avanço do índice foi limitado por preocupações quanto ao acúmulo de vendas programadas desde o final de 2006, ao recente aumento no compulsório dos bancos na China e a uma possível elevação dos juros no Japão na próxima semana. Samsung Electronics subiu 0,7% e Kookmin Bank teve alta de 1,4%. Os papéis da Hyundai Engineering & Construction se valorizaram 4% diante da especulação de que uma regulamentação mais restritiva dos financiamentos imobiliários pode não ser aplicada às empresas financeiras não bancárias. Nas Filipinas, o índice PSE Composto da Bolsa de Manila encerrou o pregão com alta de 0,7%. Os investidores, porém, ficaram cautelosos depois de o indicador ter atingido, recentemente, o maior nível de fechamento em quase uma década. Metrobank teve alta de 1,9% e PNOC-Energy Development, de 1,1%. A queda no rendimento dos títulos do Tesouro alimentou a demanda por ações de empresas do setor imobiliário. Ayala Land subiu 1,6%. Na Bolsa de Kuala Lumpur, Malásia, o índice composto de 100 blue chips fechou em alta de 0,53%. A Bolsa de Cingapura terminou em alta: o índice Strait Times avançou 0,28%. Na Indonésia, contudo, houve perdas. O índice JSX Composto da Bolsa de Jacarta encerrou o pregão em baixa de 1,8%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.