TAM ocupa guichês que eram da Varig no aeroporto de Congonhas

Aos poucos, a Varig perde espaço. Literalmente. No Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, 6 dos 22 guichês de atendimento que pertenciam à companhia foram ocupados pela TAM. Nos novos guichês, são atendidos idosos, gestantes, pessoas com deficiência e passageiros da ponte aérea.Segundo o gerente da Varig no aeroporto Edevaldo Chechetto, os balcões estavam vazios desde fevereiro, quando os vôos começaram a ser cancelados. O movimento de passageiros diminuiu e a empresa devolveu os guichês para a Infraero, responsável pelo aluguel do espaço. ?Estávamos usando o local apenas para atender a lista de espera e casos especiais. Não valia mais a pena.?A TAM aproveitou os balcões vazios e, já com a autorização da Infraero, começou a atender os clientes no novo espaço na segunda-feira. A parede do fundo continua com o azul da Varig. Mas o tapete vermelho, os banners e as divisórias douradas descaracterizam o antigo dono. ?Ficou bonitinho, não acha??, perguntou Chechetto. E, para demarcar de vez o território, atores contratados pela TAM para fazer um ?arraiá? no aeroporto fizeram a festa em frente ao novo guichê. ?Antes, não podíamos passar para o outro lado, agora podemos porque esse pedaço também é da TAM?, disse uma das atrizes. A Varig cancelou quase metade dos vôos que estavam programados para ontem. Segundo dados parciais da Infraero, estatal que administra os 66 aeroportos brasileiros, ficaram no chão 95 de 191 vôos previstos até o fim da manhã, o que representou naquele período uma taxa de 49,7% de cancelamentos. Dos cancelados, foram 79 vôos com destinos nacionais e 16 internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.