Taxa de juros faz indústria de fundos crescer

A rentabilidade dos fundos de investimento foi responsável por 81% da expansão do patrimônio líquido do setor nos últimos oito anos, de acordo com informações do site Fortuna. O total de recursos da indústria passou de R$ 140 bilhões, em dezembro de 1998, para R$ 773 bilhões no último dia 18 de outubro. Do volume incorporado, R$ 515 bilhões se referem aos rendimentos e os demais R$ 118 bilhões, à captação de novos recursos. As elevadas taxas de juros no período foram as principais responsáveis pelo retorno dos portfólios e, por conseqüência, do aumento do patrimônio, segundo o diretor do Fortuna, Marcelo d'Agosto. A média da taxa diária do CDI, balizador dos investimentos, ficou em 19,31% nos últimos oito anos, destaca. O bom desempenho do mercado acionário, que acumula valorização de 473% desde dezembro de 1998, teve contribuição menor para o crescimento da indústria de fundos, já que apenas 5% dos recursos do setor estão alocados em ativos de renda variável, nos cálculos do especialista. Com relação às captações, além do maior interesse dos aplicadores, D'Agosto lembra que os números consideram também os veículos de investimento de empresas e fundos de pensão, que também são classificados como fundos. Mesmo assim, ele destaca o crescimento do setor e a maior diversificação de produtos disponíveis no mercado.

Agencia Estado,

24 de outubro de 2006 | 07h00

Tudo o que sabemos sobre:
fundos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.