Taxa do Global 2023 fica mais alta que na última emissão

Depois de sete meses ausente no mercado internacional, o Tesouro Nacional voltou a vender um bônus da dívida externa com prazo de 10 anos, mas acabou pagando uma taxa de retorno ao investidor mais alta do que na última operação. A taxa fechou 2,75%, acima dos 2,686% obtidos em setembro de 2012, quando o Tesouro vendeu o mesmo papel, o Global 2023.

ADRIANA FERNANDES, Agencia Estado

09 de maio de 2013 | 17h53

De lá para cá, as condições do mercado ficaram mais voláteis e a percepção em relação à economia brasileira também tem sido afetada pelo crescimento mais baixo. A demanda pelos papéis foi alta, o que fez que o Tesouro vendesse mais do que oferta inicial de US$ 500 milhões. A venda nos mercados Europeu e asiático totalizou US$ 750 milhões. Com esse montante, sobe para US$ 2,1 bilhões o volume do Global 2023 em mercado.

Tudo o que sabemos sobre:
TesouroGlobal 2023emissão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.