Taxas de títulos americanos divergem com ajuste de posições

Os preços dos Treasuries (títulos públicos norte-americanos) de prazo mais longo caíram e os de vencimento mais curto tiveram leve alta, com respectivo movimento inverso dos juros, com investidores ajustando posições após os avanços registrados na semana passada e antes de um leilão de T-notes de 2 anos na terça-feira. "O mercado está respirando um pouco", disse Larry Milstein, diretor-gerente de negociações com dívidas do governo da RW Pressprich & Co., uma operadora de renda fixa e operadora para investidores institucionais.

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

24 de maio de 2010 | 19h20

 

No final da tarde em Nova York, os juros projetados pelos T-bonds de 30 anos estavam em 4,105%, de 4,090% na sexta-feira; os juros das T-notes de 10 anos estavam em 3,213%, de 3,224%; os juros das T-notes de 2 anos estavam em 0,738%, de 0,759% na sexta-feira.

 

Segundo operadores, muitos investidores acreditam que a recente alta nos preços dos Treasuries foi exagerada e optaram por vender alguns títulos de vencimento mais longo, que tiveram o melhor desempenho nas últimas semanas. Na semana passada, os yields (taxa de retorno) dos Treasuries de 10 e 30 anos recuaram mais de 20 pontos-base cada.

 

"Os Treasuries tiveram um rali (alta) por conta dos fluxos que saíram do euro em busca de segurança" na semana passada, disse Steven Major, diretor mundial de pesquisa de renda fixa do HSBC Holdings. Ele acrescentou que o fortalecimento do dólar significa que "muitos bancos centrais foram forçados a comprar ativos em dólares".

Risco financeiro na Europa

 

Hoje, os bônus do governo norte-americano receberam suporte da notícia de que o governo espanhol resgatou um pequeno banco de poupança, o Cajasur, no fim de semana. A instituição representa apenas 0,6% dos ativos bancários do país, mas seu colapso atraiu novamente a atenção do mercado para os riscos associados ao sistema financeiro da zona do euro.

 

A pressão por financiamento no mercado monetário continua crescendo e a taxa Libor em dólar para três meses - referência para o custo dos empréstimos no mercado interbancário - superou 0,5% pela primeira vez desde julho, em meio a receios com os riscos de crédito e de contraparte.

 

Amanhã, o Departamento do Tesouro dos EUA ofertará US$ 42 bilhões em T-notes de 2 anos em um leilão, cujo resultado deve ser divulgado às 14h (de Brasília). As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAtreasuriestítulosjuros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.