Telefônica anuncia plano de popularizar TV por assinatura

O presidente da Telefônica, Antônio Carlos Valente, disse hoje que a proposta da empresa no segmento de TV por assinatura é de "popularizar" o serviço. "Cada vez mais os usuários exigem uma oferta combinada de serviços", disse Valente, sobre a exigência do mercado de que as companhias vendam pacotes que incluam telefonia fixa e móvel, internet e TV por assinatura. "É o lado mercadológico da convergência", comentou ele, em sua primeira entrevista depois de ter assumido a presidência do grupo espanhol no Brasil, em janeiro.Segundo Valente, a Telefônica está observando as variações do mercado "com muito cuidado" para criar essa oferta de serviços cada vez mais ampla. Ele avalia que a TV paga no Brasil se desenvolveu muito pouco, principalmente se comparada com os serviços de telefonia. De acordo com o executivo, enquanto o País tem 100 milhões de celulares e 40 milhões de linhas fixas, o segmento de TV por assinatura não ultrapassa os 4 milhões de assinantes. "Isso mostra claramente que o esforço feito por cada um dos grupos empresariais que atua em cada um desses mercados foi completamente distinto", avaliou.Na telefonia fixa, segundo Valente, além de uma ação quantitativa, houve uma ação qualitativa. "A telefonia fixa chega a todas as camadas sociais", afirmou. Segundo ele, no Estado de São Paulo, área de operação da Telefônica, a telefonia fixa atende a 60% da população de classe C e a 35% das classes D e E. "As empresas de telefonia têm toda uma experiência para ofertar serviços para todos os segmentos da população, coisa que não aconteceu no setor de TV por assinatura, no qual apenas a classe A teve acesso a serviços de entretenimento", afirmou.SatéliteA Telefônica já está oferecendo serviço de TV por assinatura via satélite em parceria com a empresa DTHi. Além disso, a companhia aguarda duas respostas da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel): sobre um pedido de licença para explorar diretamente o serviço e sobre a compra da TVA, que tem empresas de TV a cabo e transmissão via terrestre (MMDS). "Nossa aposta é diversificar, ter produtos que cheguem a todas as camadas sociais", reiterou.Valente avalia que, no mercado de telefonia fixa, existe um processo de competição forte, acelerado por novas tecnologias, como a voz sobre IP, que permite o uso da internet para fazer ligações telefônicas. "Mas existe ainda uma excelente oportunidade para os serviços de telefonia fixa". A Telefônica, segundo ele, procura sempre ser um grupo inovador, oferecendo linhas que atendam a diversos perfis de mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.