Telefônica fecha compra da TVA

Os presidentes do Grupo Telefônica no Brasil, Fernando Xavier Ferreira, e do Grupo Abril, Roberto Civita, assinaram ontem, por volta de 16 horas, os contratos de venda da empresa de televisão por assinatura TVA para a operadora, no escritório de advocacia Machado Meyer. Eles queriam ter anunciado o negócio na sexta-feira, mas o batalhão de advogados envolvido nas negociações não havia chegado a um acordo. Ontem, Xavier e Civita estouraram um champanhe para comemorar.A Telefônica comprou todas as participações que podia em áreas da TVA que não trouxessem problemas legais, em uma operação que ainda precisa ser aprovada pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). O objetivo da Telefônica é comprar toda a empresa.A Telefônica assumiu 100% das operações de MMDS, TV paga via microondas, da TVA em São Paulo, Rio, Curitiba e Porto Alegre. Não existem limitações legais para que uma empresa de telefonia exerça o controle do MMDS. A companhia também comprou todos os papéis sem direito a voto das operações de cabo. Em São Paulo, ficou com 19,9% das ações ordinárias, porque seu contrato de concessão a impede de ser controladora de empresas de cabo em sua área. Em Curitiba, Florianópolis e Foz do Iguaçu, ficou com 49% das ações com direito a voto, pois a Lei do Cabo determina que 51% do controle devem ficar na mão de acionistas brasileiros.Não foram divulgados os valores do negócio. No ano passado, a TVA faturou US$ 128 milhões. Comandada por Leila Loria, a empresa atende 320 mil clientes de TV por assinatura e 60 mil de banda larga. Seu capital social é de R$ 837,6 milhões. Segundo comunicado da TVA, o processo de oferta inicial de ações, iniciado em setembro junto à Comissão de Valores Mobiliários, fica suspenso.O acordo entre as companhias não se restringe a mudanças no controle da TVA. Os contratos prevêem que a Abril, que permanece na gestão da empresa de TV paga, vai desenvolver conteúdo segmentado para ser distribuído em novas plataformas da Telefônica, como o IPTV (TV por internet). O conteúdo desenvolvido pela Abril não será exclusivo da Telefônica.A medida pode ser vista como uma reação à presença da Telmex, maior concorrente da Telefônica na América Latina, no controle da Net, maior empresa de TV paga do País. ?A Telefônica acredita que a parceria firmada vai beneficiar os clientes de ambas as empresas com a oferta do ?triple play?, serviços de telefonia, internet de banda larga e TV por assinatura?, apontou a Telefônica em comunicado. ?Essa convergência é uma tendência internacional e a Telefônica já vem oferecendo esses serviços a seus clientes em outros países.?A Net tem em seu controle a Embratel, que pertence à Telmex. Em seis meses, a empresa conquistou 115,4 mil clientes de telefonia. A Net também anunciou este mês a compra da Vivax, segunda maior empresa de cabo do País, elevando sua participação para 45% do mercado total de TV paga e para 75% do mercado de TV a cabo.?Foi uma oferta de reação?, afirmou Luis Shibata, diretor-geral para América Latina da consultoria The Yankee Group, sobre a compra da TVA. ?As empresas de cabo que restaram são bem menores, mas não deixam de ser interessantes.? Uma delas seria a TV Cidade, com 86 mil assinantes.A Telefônica e a Abril também assinaram contratos de compartilhamento de infra-estrutura. Com isso, a TVA pode usar a rede da Telefônica, oferecendo IPTV nos locais onde não tem rede. A operadora de telefonia tem 1,378 milhão de clientes de banda larga e 12,342 milhões de linhas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.