Telefônica pedirá anuência da Anatel para comprar GVT

O presidente da Telefônica/Vivo, Antônio Carlos Valente, disse nesta terça-feira, 07,que a empresa deve apresentar "hoje ou amanhã" à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) o pedido de anuência prévia para a compra da GVT. O negócio, avaliado em R$ 22 bilhões, foi anunciado no último dia 19.

EDUARDO RODRIGUES, Estadão Conteúdo

07 de outubro de 2014 | 16h32

"Ainda não protocolamos a operação junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) porque estamos conversando com o órgão sobre a melhor forma de apresentarmos a documentação", disse Valente, após encontro com o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. Segundo ele, a Telefônica deve entregar os documentos ao órgão antitruste até o fim deste mês.

Para Valente, o ideal para as empresas seria que ambos os órgãos reguladores aprovassem a operação ainda no primeiro semestre de 2015. Somente após o aval de ambas as autoridades as companhias devem partir para o segundo passo da operação, que é a capitalização das mesmas. O executivo afirmou ainda que não há decisão se a marca da GVT continuará existindo após o término do processo de aquisição pela Telefônica.

Valente esteve no ministério acompanhado do fundador da GVT, Amos Genish. O presidente da Telefônica, no entanto, evitou comentar os boatos de que Genish já teria sido convidado para assumir a presidência da Oi no lugar de Zeinal Bava. "Uma das maiores forças da GVT é a sua força de gestão. Por isso nós desejamos que o Amos continue conosco", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
TelefônicaGVT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.