Telemar anuncia unificação de todos os produtos com nome Oi

A Oi anunciou hoje a adoção de marca única para os serviços de telefonia fixa, celular, internet e entretenimento em substituição ao nome Telemar. De acordo com o comunicado da empresa, o objetivo é conduzir uma maior convergência de serviços para o consumidor, com mais "simplicidade".A empresa lançará amanhã campanha publicitária para comunicar a adoção da marca única. Segundo a companhia, de agora em diante o telefone Telemar virou Oi fixo. Já o serviço de banda larga passa a se chamar Oi Velox. O lançamento de serviço fixo e móvel em um único aparelho será denominado Oi Flex.O presidente da Oi, Luiz Eduardo Falco, afirmou que mais de dois milhões de pessoas já aderiram aos novos planos de minutos da Telemar. O executivo fez referência às novas regras do setor de telecomunicações que prevêem a migração dos planos de telefonia fixa dos antigos "pulsos" para minutos.De acordo com ele, quem não aderir aos novos planos da Telemar, na região onde a operadora atua, poderá ser alocado em dois planos básicos obrigatórios. Mas informou que a empresa fará uma série de contatos com os clientes, na "tentativa de ajudá-lo a escolher o melhor plano de minutos para suas necessidades".Quando questionado sobre a possibilidade de uma nova tentativa de reestruturação societária na Oi, Falco afirmou que "como toda novidade tem um timing, o timing daquela novidade era naquela hora". A empresa tentou realizar a reestruturação, sem sucesso, em dezembro do ano passado.Ele comentou o impacto que teria a reestruturação na capacidade de alavancagem de capital da empresa - que poderia ser usada em aquisições de importância para a Oi. "Com a reestruturação, teríamos uma capacidade de alavancagem infinita", disse, explicando que, agora, a empresa tem que se acostumar a uma capacidade de alavancagem limitada a sua geração de caixa. "Mas temos uma boa geração de caixa, um Ebitda de R$ 6 bilhões ao ano", afirmou.Falco considerou que aquisições pela empresa também dependerão do preço do ativo a ser comprado. Porém, mesmo, sem a vantagem da reestruturação, o executivo permanece com uma postura otimista. "Apesar de não ter passado a reestruturação, continuamos muito ambiciosos", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.