Telemar compra empresa de TV a cabo

A Telemar entrou ontem no mercado de TV paga. Em leilão na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), a TNL PCS Participações, empresa do grupo, arrematou a Way Brasil, que oferece televisão a cabo em Minas Gerais, nas cidades de Belo Horizonte, Barbacena, Poços de Caldas e Uberlândia. Ela pagou R$ 132 milhões, um ágio de 65% sobre o preço mínimo de R$ 80 milhões. A Net, que pertence à Embratel e à Globo, também havia se candidatado ao leilão, mas não entregou proposta. A operação precisa ser aprovada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel)."A compra da Way Brasil vai agregar valor à estratégia do grupo de convergência em serviços de telecomunicações", afirmou o diretor de Finanças e Relações com Investidores da Telemar, José Luís Salazar. Ele descartou a possibilidade de novas aquisições nessa área no curto prazo. A Telemar também tem uma parceria com a TVA, do Grupo Abril, para oferecer telefonia via cabo.A aquisição pode ser contestada na Justiça. A cláusula 14.1 do contrato de concessão de telefonia fixa local diz que a operadora não pode operar TV a cabo em sua área de concessão: "ressalvadas as hipóteses previstas em lei específica, concessão ou autorização de serviço de TV a cabo, na mesma área referida na cláusula 2.1, não será outorgada nem transferida pela Anatel à Concessionária, suas coligadas, controladas ou controladora, até que seja expressamente revogada tal vedação"."O assunto é complexo", afirmou Marco Antônio Bezerra Campos, advogado especialista em telecomunicações. "Existe mais de uma opinião sobre o tema." Para ele, não existiria restrição, pois a cláusula do contrato teria sido escrita com base num artigo da Lei do Cabo, criado para evitar que as estatais entrassem nesse mercado, antes da privatização do Sistema Telebrás.Desde o começo do mês, a presidência da Telemar é ocupada por Luiz Eduardo Falco. As operadoras de telefonia querem entrar no mercado de vídeo, mas enfrentam restrições regulatórias. A Lei do Cabo determina que o controle das empresas precisa deve ser brasileiro, o que impede que uma companhia como a espanhola Telefónica ofereça o serviço. Por ser nacional, a Telemar não enfrenta esta restrição.A Telemar registrou lucro líquido de R$ 427 milhões no primeiro semestre, resultado 7,6% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. Ontem, a empresa aproveitou a divulgação do balanço para negar rumores de mudanças no processo de reestruturação societária da companhia. Se concluída a reestruturação, a Telemar irá se transformar a maior empresa de capital pulverizado da América Latina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.