Telemig faz acordo com Ericsson para instalação de rede 3G

A Telemig contratou a Ericsson para instalar uma rede 3G/WDCMA em Minas Gerais, onde opera. A empresa espera concluir a instalação até o leilão 3G do governo, que deve ocorrer em junho. A rede inclui as tecnologias HSPA, para transmissão de dados, e WCDMA, para voz. O contrato entre as empresas também prevê a expansão e a modernização da atual rede da operadora em Minas Gerais."Nossos clientes podem aproveitar o serviço de dados, com preços baixos e alto desempenho, conquistando uma alternativa competitiva aos serviços de banda larga", afirma o presidente da Telemig, André Mastrobuono. Esta será a primeira rede HSPA do Brasil. De acordo com as companhias, a tecnologia permite dobrar a capacidade dos sistemas das operadoras.O investimento da Telemig na primeira rede 3G/WCDMA com capacidade HSPA no Brasil não deve passar de R$ 100 milhões. A companhia não revelou o montante exato, mas afirmou que ele seria inferior à metade do desembolso total previsto para a rede este ano, de R$ 200 milhões.Daqui a duas semanas, a empresa vai definir quais localidades serão atendidas em Minas Gerais. Em 90 dias, após uma fase de testes, a rede começará a operar e os planos comerciais serão criados. De acordo com Mastrobuono, a companhia não tem definição dos preços a serem adotados nem dos municípios que serão atendidos. "Sabemos que vamos praticar preços muito competitivos", afirmou.Os fornecedores dos terminais também não foram definidos. "Estamos em fase de prospecção", disse. Ele adiantou apenas que Belo Horizonte será um dos primeiros locais contemplados com a nova tecnologia.Segundo o executivo, os terminais com capacidade para operar a rede HSPA poderão funcionar com a tecnologia GSM enquanto a rede não for concluída. Com o novo sistema, a empresa poderá elevar a velocidade e a capacidade de transmissão de dados.A inovação pode se tornar um atrativo para a companhia, que está em processo de venda. No entanto, o presidente da Telemig afirmou que tem trabalhado sem pensar na alienação do controle, mas no bom desempenho dos negócios. "Estamos concentrados na operação e não pensando apenas na venda da empresa", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.