Temor com crescimento global derruba bolsas europeias

As bolsas europeias fecharam em forte queda nesta terça-feira, com duas delas nas mínimas do dia, em meio a preocupações com o crescimento global, reforçadas por um novo indicador fraco da Alemanha, e temores causados pelo anúncio de um caso de Ebola na Espanha, que pressionou as ações de empresas aéreas. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia com perdas de 1,53%, a 330,85 pontos.

SERGIO CALDAS, Estadão Conteúdo

07 de outubro de 2014 | 14h05

O mau humor na Europa começou logo cedo após a Alemanha divulgar que sua produção industrial caiu 4% em agosto ante julho, quando a previsão era de uma contração bem menor, de 1,5%. O contraponto veio do Reino Unido, onde a indústria produziu 2,4% mais em agosto que um ano antes, com o resultado vindo praticamente em linha com a expectativa de um acréscimo de 2,6%.

A aversão ao risco também foi alimentada pela confirmação de que uma enfermeira espanhola contraiu o vírus do ebola em Madri, no primeiro caso de transmissão da doença fora dos países da África Ocidental que registraram cerca de 3,5 mil mortes nos últimos meses.

Além disso, o Fundo Monetário Internacional (FMI) reduziu hoje suas projeções de crescimento mundial para este ano, de 3,4% para 3,3%, e para 2015, de 4% para 3,8%. Por outro lado, o FMI se demonstrou mais otimista em relação aos EUA e revisou sua previsão de expansão da maior economia do mundo em 2014, de 1,7% para 2,2%.

Diante de temores de que o caso de ebola prejudique a indústria do turismo na Espanha, a Bolsa de Madri teve a maior desvalorização do dia entre os principais mercados da Europa. O índice espanhol Ibex 35 caiu 2,02%, a 10.430,70 pontos. A empresa aérea IAG foi particularmente afetada pela notícia do ebola, recuando 6,57%.

Em Londres, o FTSE 100 teve baixa de 1,04%, a 6.495,58 pontos, o menor nível da sessão. Pelo mesmo motivo da IAG, a easyJet despencou 5,32% na capital inglesa. Por outro lado, a Rio Tinto subiu 0,78% na bolsa britânica, após anunciar ontem que recusou uma oferta de aquisição da Glencore em agosto. Outro mercado que fechou na mínima do dia foi o de Milão, onde o índice FTSE Mib caiu 1,73%, a 19.771,71 pontos.

Na Bolsa de Paris, o CAC 40 cedeu 1,81%, a 4.209,14 pontos, com a Sanofi recuando 1,8% após informar que notificou autoridades norte-americanas sobre uma acusação de pagamentos indevidos a profissionais da saúde no Oriente Médio e na África Ocidental. Em Frankfurt, o índice DAX perdeu 1,34%, a 9.086,21 pontos, pressionado por Lufthansa (-6,9%) e pelo estreante Rocket Internet (-5,3%), que lançou sua oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) na semana passada. Em Lisboa, o PSI 20 teve queda relativamente menor, de 0,54%, fechando a 5.507,53 pontos. Com informações da Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
EUROPABOLSAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.