Temor com oferta leva petróleo a superar US$ 66

O contrato de petróleo para maio negociado em NY disparava quase 3% esta tarde e pela primeira vez desde fevereiro superava o nível de US$ 66 o barril. Essa alta era impulsionada pela ameaça de greve na Noruega e pela tensão contínua na Nigéria. O maior sindicato do setor privado norueguês, o Fellesforbundet, ameaça entrar em greve sábado, se não for fechado até sexta-feira um acordo com a Federação das Indústrias da Noruega sobre pensões e salários. O movimento não afetaria diretamente os petroleiros e os funcionários da produção de gás, mas abrangeria o setor de engenharia e o desenvolvimento de projetos. Às 16h55, o contrato de petróleo para maio subia 2,95%, para US$ 66,05 o barril. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.