Tensões entre Rússia e Ucrânia puxam alta do petróleo

Os contratos futuros de petróleo bruto operam em alta nesta segunda-feira, impulsionados pela crise geopolítica no Leste Europeu. A escalada das tensões entre Rússia e Ucrânia pode levar a uma elevação nos preços globais de energia, disse David Hufton, da corretora PVM.

Agencia Estado

28 de abril de 2014 | 07h40

"Se a Rússia enviar tropas para a Ucrânia sob o pretexto de uma missão de manutenção da paz para proteger os seus cidadãos, um limite terá sido cruzado e nem mesmo os líderes europeus muito cautelosos poderão ignorar", disse ele. "Se a situação se agravar, isso ameaça prejudicar a recuperação da zona do euro e pode levar a um pico nos preços de globais de energia".

O prêmio de risco está sendo limitado, no entanto, pela oferta abundante da commodity em alguns países. Além disso, o retorno gradual da Líbia ao mercado deve acrescentar ainda mais volumes. O terminal petrolífero líbio Zueitina parece estar no caminho para retomar as atividades no futuro próximo, de acordo com o Commerzbank. Dois terminais maiores, em Ras Lanuf e Es Sider, permanecem fechados.

"A falta de oferta da Líbia deve dar apoio ao preço do Brent no momento. É graças à situação da oferta ainda abundante no mercado global que o petróleo Brent não está subindo visivelmente acima de US$ 110 por barril", escreveu Commerzbank, em uma nota a clientes.

Às 7h25 (de Brasília), o petróleo para junho ganhava 0,67% na Nymex, a US$ 101,27 por barril, e o brent para junho avançava 0,34%, a US$ 109,95 por barril, na ICE. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.