Tensões no Oriente Médio derrubam petróleo

Os contratos futuros de petróleo operam em baixa, após o impulso dado por tensões no Oriente Médio na sessão anterior, mas é possível que a commodity se recupere nas próximas semanas com a expectativa de que as refinarias demandem mais petróleo bruto, segundo analistas.

Agencia Estado

29 de outubro de 2013 | 10h00

Às 9h45 (de Brasília), o brent para dezembro caía 0,59%, a US$ 108,96 por barril, na plataforma eletrônica ICE, em Londres, enquanto na Nymex, o contrato com vencimento para o mesmo mês recuava 0,60%, a US$ 98,09 por barril.

Nesta época do ano, as refinarias normalmente têm demanda menor por petróleo por causa de atividades de manutenção, mas é provável que o volume refinado cresça no próximo mês. "Os fundamentos dos mercados de petróleo vão dar mais sustentação aos preços nas próximas semanas (meados de novembro)", disseram analistas do Nordea Bank em nota a clientes.

Se há previsão de preços em alta, as quedas atuais podem atrair investidores para o mercado. "Qualquer correção adicional (para baixo) deve ser considerada como uma oportunidade para os consumidores procurarem hedge na faixa mais baixa dos intervalos históricos recentes", concluíram os analistas.

Na segunda-feira, 28, um novo pico da violência no Iraque no fim de semana, com a explosão de vários carros-bomba deixando dezenas de mortos, e tensões na Líbia foram os principais fatores a contribuir para o avanço do petróleo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleoOriente Médio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.