Tesouro anuncia recompra de dívida; dólar cai a R$ 2,245

O primeiro negócio fechado esta manhã no pregão de câmbio à vista da Bolsa de Mercadorias & Futuros foi com o dólar em queda de 1,40%, a R$ 2,252, logo após o anúncio do Tesouro Nacional de que vai recomprar, de hoje até quinta-feira, títulos da dívida externa brasileira em dólares e euros. Os negócios seguintes no pregão da BM&F intensificaram a queda do dólar, para 1,71%, na cotação de R$ 2,245, às 9h30. As agendas internacionais devem seguir como foco principal dos analistas de mercado financeiro, os investidores permanecerão cautelosos e a volatilidade tende a continuar. Isso é verificado já nos primeiros negócios desta manhã, com as bolsas européias e os índices futuros de Nova York exibindo quedas e as taxas de juros dos EUA mostrando elevação. Os ativos internacionais têm registrado fortes oscilações e, esse comportamento, que se repete desde que se acirraram as incertezas em relação ao futuro das taxas de juros dos países desenvolvidos, principalmente dos EUA, não parece estar esgotado. A perspectiva da maioria é que se estenderá pelo menos até o final deste mês, quando o Federal Reserve se reúne para decidir qual será a nova taxa de juros dos EUA. Até recentemente, os mercados financeiros globais trabalhavam com a perspectiva de que o juro norte-americano fosse elevado a 5%. Isso ocorreu no último encontro do Fed, mas o comunicado e a ata dessa reunião deixou a porta aberta para a continuidade do aperto monetário. E os mercados reagem a isso. E, por conta disso, valorizam cada indicador da economia dos EUA que é revelado e operam de acordo com as interpretações que fazem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.