Tesouro reduzirá emissões de LFT de forma gradual

Afirmação foi feita nesta quarta-feira pelo secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin

Fernando Dantas e Daniela Amorim, da Agência Estado,

18 de maio de 2011 | 16h47

O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, disse nesta quarta-feira, 18, que não haverá nenhuma mudança brusca em relação às Letras Financeiras do Tesouro (LFTs), que são títulos públicos pós-fixados corrigidos pela taxa Selic. O comentário do secretário do Tesouro foi em resposta a pergunta de jornalistas sobre a intenção do governo de mudar a indexação da dívida mobiliária à taxa de juros. Apesar de mais barata, a remuneração dos títulos pela Selic obriga a autoridade monetária a levar em consideração os efeitos da elevação dos juros sobre o custo da dívida.

"Boa parte dos nossos títulos, as LFTs, é vinculada à Selic, que é um indicador importante que foi construído ao longo do tempo e o mercado aceita ele bem. A redução da quantidade de títulos vinculados à LFT é uma coisa que a gente já vem trabalhando há muito tempo, ano a ano, mas ela é gradativa. Nós não vamos simplesmente substituir os títulos. Nós vamos reduzir o seu tamanho, para efeito de termos títulos com menos volatilidade, títulos prefixados ou vinculados à inflação", afirmou Augustin.

O secretário do Tesouro participou hoje do XXIII Fórum Nacional, que acontece na sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.