Antonio Lacerda/EFE - 22/2/2021
Antonio Lacerda/EFE - 22/2/2021

Top Picks: Em 2022, commodities, exportadoras e bancos podem se sair melhor

Empresas desses setores têm unidades em outros países e se beneficiam desses mercados, dizem especialistas; na contramão, varejo, construção civil e tecnologia podem ficar no negativo

Marcia Furlan, O Estado de S.Paulo

17 de dezembro de 2021 | 21h30

Ao término de um ano atribulado e negativo para os investimentos em Bolsas, não faltam dúvidas sobre onde colocar o dinheiro para garantir algum retorno em 2022.

As incertezas persistem tanto no cenário interno quanto no externo, mas analistas consultados pelo Estadão/Broadcast relacionaram quais setores e empresas podem ter desempenho bom e outros que não devem reagir, a considerar as condições colocadas até este momento.

É consenso entre eles que as ações ligadas a commodities e exportadoras têm maiores chances, pois estão relacionadas à reação da atividade econômica e do consumo no mundo. Nesse grupo estariam as empresas de mineração e siderurgia, que fornecem para toda cadeia de infraestrutura, e os frigoríficos. São empresas que, além de exportarem, têm unidades em outros países e se beneficiam desses mercados.

Falando ainda em commodities, as empresas ligadas a petróleo estão na lista das que devem ter um bom 2022. Nesse grupo, o destaque é Petrobras que conseguiu se descolar do Ibovespa este ano e deve continuar a entregar bons resultados. Os motivos são vários: a empresa persiste em sua estratégia de desinvestimentos e melhor alocação de capital, ao mesmo tempo em que registra forte geração de caixa, motivada pela alta do petróleo tipo Brent, o que funciona como um hedge para a variação do dólar.

Tem pesado positivamente o Plano Estratégico para o período de 2022 a 2026, recém-divulgado, que mostra iniciativas voltadas às boas práticas socioambientais e de governança (ESG) e propõe dividendos maiores, além da aprovação, na última semana, da venda de até 100% das ações da Braskem, por meio de oferta pública secundária de ações.

Outro setor ligado ao mercado internacional e que deve se destacar é o de papel e celulose, como já vem sendo observado há algumas semanas, com o aumento de preços de celulose na China, estoques sob controle e demanda resiliente. "Outro ponto favorável é o custo de produção baixo, implicando expectativa de geração de caixa forte para as companhias do setor, também beneficiadas por patamar do dólar elevado", enfatizou o analista do banco Daycoval, Vítor Suzaki.

É consenso ainda entre os analistas a expectativa positiva com o setor financeiro, onde estão os bancos e as seguradoras. E o motivo principal são os juros elevados, que garantem um spread mais alto nos financiamentos, além de maior retorno nas aplicações financeiras. Com a inflação persistentemente em alta, a taxa Selic, que subiu para 9,25% ao ano, deve demorar a retroceder.

Já na outra ponta, ou seja, aquelas que ainda ficarão no terreno negativo ou em volatilidade são as de setores cíclicos como varejo, construção civil e de tecnologia. "São empresas muito sensíveis à deterioração do cenário macroeconômico, pela expectativa desancorada de inflação, além da elevação da taxa de juro", afirmou Rodrigo Crespi, da Guide Investimentos. Segundo ele, os juros altos afetam a precificação dos ativos no caso das empresas de crescimento, como as de tecnologia, por possuírem a maior parte do valor no futuro.

No caso do varejo e da construção, o juro alto é o principal vilão, porque inibe financiamentos. Mas esses setores sofrem muito também com a renda comprimida do consumidor e o desemprego, o que pode elevar o número de distratos das empresas de construção. O varejo com atuação em e-commerce, além de todos esses fatores, tem se ressentido do aumento da concorrência de players estrangeiros, o que deve persistir em 2022.

E por fim, a depender da evolução da covid-19 e de suas variantes, as companhias áreas e de turismo devem prosseguir com seu movimento de sobe e desce na Bolsa. Se as restrições de circulação persistirem, os negócios seguirão prejudicados.

Álvaro Bandeira, economista-chefe do Modalmais, ressaltou, no entanto, que as ações de boa parte das empresas já estão ajustadas para o cenário complicado de 2022 e, assim, algumas podem registrar recuperação. "Os mercados certamente vão seguir voláteis e dependentes da economia e da área política", afirma.

Com relação às recomendações Top Picks para a próxima semana, a Ativa trocou sua carteira toda. Entraram Rumo ON, Itaú PN, Totvs ON, NotreDame Intermédica ON e Americanas SA ON, com a saída de BTG Pactual Unit, Embraer ON, GPA ON, Raízen ON e Yduqs ON.

O Banco do Brasil também mudou todas as ações. Cogna ON, Direcional ON, Hypera ON, Localiza ON e Ultrapar ON deram lugar a Americanas SA, CSN Mineração ON, Cteep PN, Santos Brasil ON e Suzano ON. O Daycoval deixou em sua carteira CCR ON, Petz ON, Suzano ON e Telefônica Brasil e trocou apenas Copasa ON por Banco Pan PN.

A Elite Investimentos retirou Banco Inter PN, Cyrela ON e Movida ON, substituídas por Bradesco PN, Equatorial ON e Gerdau PN, e deixou apenas BTG Pactual Unit e Vale ON. Da carteira da Mirae saíram CSN ON, Ferbasa PN e Banco Inter Unit, para entrar Randon PN, Rumo ON e Vale ON. Permaneceram Indústrias Romi ON e Santos Brasil ON.

O ModalMais fez apenas uma troca: saiu BB Seguridade ON e entrou Banco ABC Brasil PN. Permaneceram Banco do Brasil ON, Gerdau PN, Klabin Unit e Vale ON. O MyCap tirou Banco Pan PN, PetroRio ON e Positivo ON e colocou no lugar Cyrela ON, Itaú PN e Marfrig ON. Permaneceram GPA ON e Simpar ON.

Apenas o Banco ABC Brasil PN saiu da carteira da Órama. No lugar entrou Klabin Unit. As demais ações são Energias do Brasil ON, Petrobras PN, Telefônica ON e Unipar PNB.

A Planner substituiu Grendene ON e Weg ON por Cemig PN e Santos Brasil ON e manteve JSL ON, Petrobras PN e Telefônica Brasil ON. Na carteira da Terra permaneceram B3 ON, Bradesco PN, BR Malls ON e Cemig PN. Saiu apenas Usiminas PNA e entrou Cyrela ON no lugar.

A XP trocou todas as ações. Saíram Banco Pan PN, BR Malls ON, Marfrig ON, Rede D'Or ON e Totvs ON. Entraram Bradesco PN, Equatorial ON, Natura ON, PetroRio ON e Vale ON. Veja a lista:

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.