Amanda Perobelli/ Reuters
Amanda Perobelli/ Reuters

Top Picks: Investidor estrangeiro prioriza setor financeiro e commodities na Bolsa

Contribuição expressiva do investidor estrangeiro para desempenho positivo da Bolsa beneficiou diversos segmentos; blue chips e empresas com mais liquidez atraíram a maior parte desse capital

Marcia Furlan, O Estado de S.Paulo

08 de abril de 2022 | 21h00

O desempenho positivo da bolsa de valores no primeiro trimestre do ano teve a contribuição expressiva do investidor estrangeiro que entrou com força no mercado, de olho nos preços defasados dos ativos nacionais.

O movimento beneficiou diversos segmentos, mas as blue chips e as empresas com mais liquidez foram as que atraíram a maior parte desse capital, em detrimento das companhias menores.

Ricardo Peretti, estrategista de ações da Santander Corretora, destaca que entre janeiro e março, enquanto o IBOV avançou 14,5%, o índice que reúne as smalls caps ganhou apenas 6,6%.

Entre os setores que mais receberam recursos estrangeiros, o destaque foram as empresas de commodities e financeiras. Alguns exemplos são Vale, Itaú Unibanco, BTG Pactual e Banco do Brasil, que registraram altas superiores a 20% cada na Bolsa, acima do desempenho do índice Bovespa no período.

Além dos preços muito descontados, a boa performance desses setores tem relação com o aumento das taxas de juros, no caso dos bancos, porque abre espaço para spreads maiores em financiamentos em geral, e por consequência ganhos melhores às instituições.

Já a alta nas cotações das commodities, principalmente petróleo e minério de ferro, favorece as receitas de mineradoras, siderúrgicas e petroleiras. As cotações já vinham pressionadas e tiveram o reforço adicional do conflito entre a Rússia e a Ucrânia a partir do fim de fevereiro.

A analista-chefe da Inter Invest, Gabriela Joubert, observa que os papéis das empresas de commodities estão em ritmo de alta desde 2020, devolveram um pouco na segunda metade do ano passado, e voltaram a subir neste início de ano.

Ela acrescenta à lista ainda as empresas de utilities (concessionárias de energia, gás e saneamento), que tinham sido prejudicadas pela crise hídrica e agora veem um cenário climático mais favorável, além de se beneficiarem dos índices inflacionários elevados, que indexam as tarifas.

"Temos visto o investidor estrangeiro comprando na Bolsa Brasileira em busca de exposição às commodities, de fato, mas também em busca de juros já elevados e ativos de alta qualidade e ainda depreciados", resume a analista.

Pedro Galdi, analista da Mirae Asset, frisa que o investidor estrangeiro priorizou a liquidez em seus aportes na bolsa brasileira em 2022 e se restringiu a um número pequeno de empresas. "Ao se depurar a bolsa nesse período, percebe-se que foram poucas as ações que sustentaram a alta e boa parte teve desempenho inferior ao do Ibovespa", afirma.

Com relação às recomendações de Top Picks para a próxima semana, a Ativa fez duas trocas em sua carteira, tirando CSN ON e Fleury ON e colocando no lugar Ambev ON e Magazine Luiza ON. As demais ações foram mantidas: Boa Safra ON, Petrorio ON e Weg ON.

O BB Investimentos trocou toda a carteira. Saíram B3 ON, Grupo SBF ON, Grupo Soma ON, Vale ON e Weg ON e entraram Minerva, ON, CPFL Energia ON, Eletrobras, ON, Iguatemi Unit e Time For Fun ON.

A Elite trocou apenas a AES Brasil ON por Marfrig ON e continuou com Petrorio ON, Porto Seguro ON, Sanepar Unit e Vale ON na carteira.

A Guide fez duas substituições. Tirou Alupar Unit e Itaú Unibanco PN e colocou Petz ON e Vivara ON. Permaneceram Petrobras PN, Vale ON e Vibra Energia ON.

Da carteira da Mirae, saíram Itaú Unibanco PN, JBS ON e Usiminas PNA, que deram lugar a AES Brasil Unit, Santos Brasil ON e Weg ON. Cteep PN e Vale ON ficaram.

A MyCap manteve na carteira JBS ON e Porto Seguro ON e inseriu Banco do Brasil ON, Neoenergia ON e Santos Brasil ON no lugar de CSN ON, Direcional ON e Hermes Pardini ON.

A Órama fez apenas uma troca: Cogna ON saiu e entrou CPFL Energia ON. Ficaram CCR ON, Cielo ON, Taesa Unit e Telefônica Brasil ON.  

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.