Tóquio cai 1% com notícias dos EUA e Tailândia

A Bolsa de Tóquio encerrou o pregão de hoje em seu nível mais baixo das últimas seis semanas. Os negócios foram afetados pela expectativa de que uma retração econômica dos EUA arraste as blue chips de empresas exportadoras nos setores de tecnologia e automóveis. O Nikkei 225 recuou 1% e fechou em 15.718,67 pontos, o menor nível desde 11 de agosto. As perdas se reduziram um pouco no final do pregão, após a eleição de Shinzo Abe para a presidência do Partido Liberal Democrático (PLD), o que o coloca como o virtual primeiro-ministro, a ser designado na próxima semana. ?As notícias que chegam dos EUA não são boas. Se isto sinaliza uma recessão, representa um golpe para os exportadores japoneses e afeta o sentimento geral?, comentou Ben Hao, chefe do departamento de venda de ativos do Dresdner Kleinwort em Tóquio. O portal de Internet Yahoo alertou que pode sofrer uma queda em seus lucros e a indústria de semicondutores dos EUA divulgou um número baixo de encomendas em agosto. Ambas as notícias ressuscitaram os temores de que a economia norte-americana esteja à beira de uma recessão. O golpe de Estado na Tailândia piorou o humor do mercado, já que o país é o principal destino dos investimentos japoneses na Ásia. Toshiba perdeu 2,4% e Hitachi, 2,2%. As ações da Honda Motor caíram 0,8% com o anúncio de que a empresa interromperá a partir de hoje suas operações na Tailândia. A corretora Deutsche Securities diminuiu a classificação dos papéis da Toyota Motor para ?Manter? e os papéis da montadora também caíram 0,8%. (As informações são da Dow Jones)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.