Tóquio fecha em alta com avanço do dólar

Índice Nikkei subiu 1,2%, para 14.782,21 pontos, após uma alta de 2,9% na sessão anterior

13 de maio de 2013 | 05h48

As ações na Bolsa de Tóquio fecharam em forte alta nesta segunda-feira, com o contínuo fortalecimento do dólar ante o iene. Além disso, sólidos resultados corporativos de exportadores como a Nissan Motor também ajudaram a puxar o pregão para cima.

O índice Nikkei subiu 1,2%, para 14.782,21 pontos, após uma alta de 2,9% na sessão anterior.

Os níveis de participação foram robustos, com 5,3 bilhões de ações negociadas sob o valor de 4,1 trilhões de ienes. O volume de participação foi o segundo maior no ano, enquanto o valor das transações ficou entre os maiores observados nos últimos meses.

As ações foram impulsionadas pelo fortalecimento do dólar ante o iene. A moeda norte-americana continuou a subir depois que o Japão saiu da reunião do G-7 sem críticas aparentes. Ninguém realmente esperava que o Japão seria seriamente repreendido por causa de seus política monetárias, já que anteriormente o G-20 tampouco apresentou falas muito duras", disse o gerente geral de ações Hiroichi Nishi, da SMBC Nikko Securities.

O contínuo avanço do dólar mesmo depois de superar a marca de 100 ienes no final da semana passada teve grande importância para o mercado. No fim da tarde em Tóquio, a moeda dos EUA mudava de mãos por volta de 101,71 ienes depois de romper temporariamente a marca de 102,00 ienes.

"Os investidores estrangeiros continuam muito ativos, tendo em vista que grande parte das vendas foi apenas sendo recanalizada para as estratégias de rotação do setor", disse um diretor de negociação de ações de uma corretora estrangeira. "Ninguém quer ser deixado completamente de fora do mercado."

Diversas ações se beneficiaram do enfraquecimento do iene e superaram o mercado mais amplo. A Fuji Heavy Industries adicionou 4,9% e a Nikon subiu 4,4%.

Operadores observaram que fundos saíram de ações relacionadas ao setor imobiliário e voltaram-se para finanças. O índice REIT TSE caiu 4,4%, para 1.426,63 pontos, enquanto a Nomura Holdings ganhou 9,6%.

O Mitsubishi UFJ Financial Group avançou 8,2% e a Dai-ichi Life Insurance fechou em alta de 6,8%.

"A tendência de alta em finanças deverá continuar com expectativas de que a inflação voltará para a economia do Japão e de que os 850 trilhões de ienes em economias pessoais da nação começarão a fluir para bancos e corretoras", disse o estrategista Hideyuki Ishiguro, da Okasan Securities.

Entre os movimentos relacionados a resultados corporativos, a Nissan Motor ganhou 4,5% depois de registrar um lucro líquido de 342,45 bilhões de ienes para o ano fiscal recém encerrado, acima de sua própria previsão. Para o ano em curso, a empresa disse que espera um lucro líquido de 420 bilhões de ienes, um salto de 22,6% no ano.

A Panasonic subiu 7,6%, mesmo após obter um prejuízo líquido de 754,25 bilhões de ienes no ano fiscal encerrado em março uma vez que os traders viram de forma positiva a previsão da empresa em voltar ao terreno positivo no atual período fiscal.

Da mesma forma, Hitachi subiu 7,8% depois que a empresa disse que espera uma recuperação de 20% no lucro líquido no ano atual para 210 bilhões de ienes, ajudada por um iene mais fraco. A previsão ocorreu uma queda de 50% em seu lucro líquido no último ano fiscal.

A NSK ficou entre as maiores surpresas da sessão, com alta de 14%. Seus resultados mostraram um declínio de 27% no lucro operacional no ano - mas ainda 16% acima da previsão. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
JAPÃOBOLSA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.