Tóquio fecha em alta, com valorização de construtoras

A Bolsa de Tóquio encerrou a sessão em alta, esperançosa de que o mercado acionário dos EUA continue sua recuperação e liderada pelas compras dos caçadores de ofertas em um amplo leque de ações, incluindo os papéis de construtoras. O índice Nikkei 225 subiu 139,88 pontos - ou 0,8% - e fechou em 17.667,33 pontos. Na terça-feira, o índice havia caído 100,85 pontos. As ações das construtoras tornaram-se alvos populares dos caçadores de barganhas. Especialmente após Tokyu Land anunciar, na terça-feira, o crescimento em suas previsões de lucro e no pagamento de dividendos para o último ano fiscal. Isso aumentou as expectativas de ganhos em todo o setor. Mitsui Fudosan subiu 3,3%. Mitsubishi Estate ganhou 3,3% e Sumitomo Realty, 4,8%. Tokyu Land fechou em alta de 5,2%. Fujitsu fechou em baixa de 1,5%, depois de a companhia reduzir suas estimativas para o lucro operacional do grupo no ano fiscal encerrado em março, devido a um atraso na recuperação dos rendimentos da sua divisão de sistemas de transmissão óptica. Além da presença dos caçadores de barganhas, as ações relacionadas a microchips foram beneficiadas pelos resultados favoráveis apresentados pela Intel no primeiro trimestre. Advantest subiu 0,7%. Kyocera adicionou 0,5%, depois de ter perdido 1,3% no dia anterior. Canon finalizou em alta de 0,8%. Nikon ganhou 2,1%. Tokyo Electron foi a exceção, ao cair 0,9%, depois de ter subido 3,6% na véspera, com a agência de classificação de rating Goldman Sachs adicionando suas ações na lista de ?compras de convicção?. Fujifilm Holdings subiu 1,6% e Shiseido ganhou 3,9%, após noticia do jornal "Nikkei" de que as duas companhias aumentaram suas previsões de lucro. Os papéis de corretoras tiveram alta, com a esperança de que o governo japonês reduza a ?parede? que separa bancos e as indústrias mobiliárias, o que poderá trazer novas oportunidades de negócios. Nomura Holdings subiu 3,9%. Daiwa Securities ganhou 1,7%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

18 Abril 2007 | 07h08

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.