Tóquio fecha em leve alta com dólar mais forte

  O fortalecimento do dólar ajudou a elevar os papéis de exportadores

29 de maio de 2013 | 04h48

As ações na Bolsa de Tóquio fecharam em alta nesta quarta-feira, uma vez que o fortalecimento do dólar ajudou a elevar os papéis de exportadores como a Kyocera e a Komatsu. Ao mesmo tempo, ações defensivas, como da Takeda Pharmaceutical, avançaram na busca por barganhas.

O índice Nikkei terminou em alta de 0,1% aos 14.326,46 pontos, após um início agitado da sessão e uma onda de vendas de última hora. O avanço no índice ocorreu depois de uma alta de 1,2% na terça-feira.

Os níveis de participação mantiveram-se moderados, com 3,9 bilhões de ações negociadas no valor de 3,1 trilhões de ienes.

A volatilidade continuou após as recentes oscilações do mercado. A faixa de variação foi de 269 pontos nesta quarta-feira, montante muito menor do que os 456 pontos na terça-feira. Além disso, o total de pontos entre o nível mais alto e o mais baixo ficou bem longe dos mais de 1.000 pontos na quinta-feira e na sexta-feira da semana passada.

Apesar da diminuição da faixa de variação, os agentes do mercado ainda estavam se recuperando da queda de 7,3% da semana passada, disseram estrategistas. "Os agentes permanecem abalados, deixando o mercado sem uma direção clara", disse Hideyuki Ishiguro, gestor-assistente de estratégia de investimento da Okasan Securities.

Muitos esperam que a instabilidade continue até o vencimento e a rolagem de futuros e opções do Nikkei em meados de junho.

No fechamento do pregão em Tóquio, o dólar mudava de mãos em cerca de 102,25 ienes, de 102,37 ienes no final da tarde de terça-feira. No fim da tarde de segunda-feira, o dólar estava em 100,94 ienes.

"Depois de um grande abalo, pequenos tremores tendem a continuar", disse Eiji Kinouchi, estrategista sênior da Daiwa Securities Capital Markets.

O índice Nikkei não conseguiu se recuperar em relação a sua média móvel de 25 dias pelo segundo pregão consecutivo, observaram analistas técnicos. Um terceiro desempenho como este pode levar a uma possível mudança de tendência, disse Kenichi Hirano, da Tachibana Securities, uma vez que o índice havia ficado em grande parte acima da média nos últimos seis meses.

Enquanto outras ações pesos pesados se esforçavam para ganhar terreno, o SoftBank fechou em alta de 2,1% após a notícia de que a empresa e a Sprint Nextel chegaram a um acordo inicial com o governo dos EUA sobre um plano para proteger a segurança nacional norte-americana, possivelmente abrindo caminho para o avanço da oferta do SoftBank.

Entre os exportadores, a Kyocera ganhou 0,7% e a Komatsu subiu 1,6%. A Takeda Pharmaceutical liderou as ações defensivas, com um ganho de 1,7%.

Incorporadoras imobiliárias ficaram entre os piores desempenhos da sessão com preocupações de que o aumento das taxas de juro de longo prazo poderão prejudicar os lucros. A Sumitomo Realty & Development caiu 1,7%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
japãobolsafechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.