Tóquio fecha em queda com fortalecimento do iene

 O índice Nikkei caiu 0,5%, para 13.485,14 pontos, após uma alta de 2,0% na sessão anterior

12 de abril de 2013 | 08h42

A Bolsa de Tóquio fechou em terreno negativo nesta sexta-feira, uma vez que o fortalecimento do iene e uma queda dos papéis da Fast Retailing compensaram as compras pesadas nas ações da operadora de lojas de varejo Aeon e de empresas do setor imobiliário. O índice Nikkei caiu 0,5%, para 13.485,14 pontos, após uma alta de 2,0% na sessão anterior. Na semana, o índice avançou 5,1% e acumula 30% de ganhos no ano. 

O volume de negócios totalizou 4,56 bilhões de ações, continuando a superar a marca de 4 bilhões de ações em todos os dias desde a decisão de política monetária do BoJ. O valor das transações também foi robusto, registrando 3,66 trilhões de ienes.

O Nikkei abriu em alta, mas rapidamente caiu abaixo do ponto de equilíbrio por causa de realização de lucros. O índice também perdeu terreno, visto que o dólar começou um recuo modesto em relação ao iene, ferindo o entusiasmo dos investidores que esperam que a moeda norte-americana supere a marca de 100 ienes. Por volta das 3h (em Brasília), horário do fechamento do pregão, a moeda dos EUA mudava de mãos em cerca de 99,40 ienes.

A onda de vendas das ações da Fast Retailing, peso-pesado do Nikkei, também prejudicou o índice. A empresa caiu 0,9% depois que seus resultados do primeiro semestre - anunciados após o fechamento do mercado nesta quinta-feira (11) - ficaram abaixo de algumas previsões.

Além disso, realizações de lucros foram vistas em vários setores. A Seven & i Holdings perdeu 4,2% depois de avançar 27% desde o dia 3 de abril. O Softbank recuou 1,0% e a Kyocera caiu 1,3%.

Contra isso, uma onda de compras puxou a Aeon para uma alta de 6,5%. A empresa registrou um lucro líquido recorde de 74,70 bilhões de ienes em seu ano fiscal recém-concluído, uma alta de 12% no ano.

As fortes compras em ações de empresas do setor imobiliário ajudaram a limitar a queda do Nikkei. A Mitsui Fudosan e a Mitsubishi Estate ganharam 4,0% e 3,7%, respectivamente. A Tokyo Tatemono avançou 4,4%.

Movimentos relacionados a valorização de ativos continuam a ser os temas mais interessantes entre os investidores desde o grande anúncio do BoJ, disse um analista de uma corretora japonesa, ressaltando uma alta de 36% no subíndice imobiliário desde 2 de abril. "Os estrangeiros veem que décadas de desvalorização imobiliária constante chegando ao fim, e estão apostando em uma reversão."

Entre os motores individuais, Sharp ganhou 7,0%. Uma notícia do Nikkei informou que os principais bancos credores da fabricante de painéis LCD estão se movimentando para manter um acordo de empréstimo de 360 bilhões de ienes, agora que a empresa deve divulgar um lucro operacional referente ao segundo semestre do ano fiscal de 2012, condição para continuar com o crédito. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.