Tóquio fecha em queda de 1,5%, após 6 pregões de alta

A Bolsa de Tóquio fechou em queda pela primeira vez depois de seis pregões. A valorização do iene e a notícia de que a Coréia do Norte pode estar preparando outro teste nuclear precipitaram as realizações de lucros. Mas os operadores consideraram que a modesta retração do mercado demorou a acontecer, levando-se em conta os fortes ganhos registrados desde o final de novembro. Eles também observaram que as expectativas em relação à economia japonesa e ao desempenho das empresas mantiveram intacta a tendência de alta da bolsa. O índice Nikkei 225 recuou 1,5%, para 17.091,59 pontos. O índice não fica abaixo de 17 mil pontos desde 22 de dezembro. ?Mesmo se cair (para menos de 17 mil pontos), será uma inesperada oportunidade para comprar ações baratas?, disse Mamoru Maeda, chefe da venda de ativos da Chuo Securities. A notícia sobre a Coréia do Norte deixou tensos os operadores do mercado futuro, mas os investidores geralmente não reagem tão nervosamente a esse tipo de informação. ?Não acho que os investidores vejam isso como um risco para o avanço do mercado de ações neste ano?, declarou Maeda. As realizações de lucros prejudicaram as ações dos produtores de metais, em meio à queda nos preços internacionais das commodities. Nippon Steel perdeu 5,4%, JFE Holdings caiu 6,6% e Toho Zinc recuou 7,4%.Outras ações ligadas à produção mineral também tiveram queda. Sumitomo Corp. caiu 3,8%, Mitsubishi Corp. se desvalorizou 2,7% e Mitsui & Co. registrou perda de 3,3%. Entre as refinarias de petróleo, Nippon Oil declinou 3,5%, Showa Shell recuou 2,3% e Nippon Mining Holdings baixou 3,4%. No setor exportador, Toyota perdeu 2,3% e Honda, 3%. A queda nos preços do petróleo beneficiou a Japan Airlines, cujas ações subiram 2,4%. A Bolsa de Tóquio não funciona na segunda-feira, devido a um feriado. As informações são da Dow Jones. Carlos Mercuri Editor do Newspaper 11-3856-2251 carlos.mercuri@grupoestado.com.br

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.