Tóquio fecha em queda de 1,5% com impasse nos EUA e balanços

'O mercado está dividido entre os que acreditam que um default dos EUA não vai ocorrer e os que apostam nessa possibilidade', diz corretora japonesa Investrust

Hélio Barboza, da Agência Estado,

28 de julho de 2011 | 07h58

A Bolsa de Tóquio fechou com acentuada queda, uma vez que a preocupação com o impasse nas negociações para o aumento do teto da dívida dos EUA continuou a afetar o mercado, contribuindo para o forte volume de vendas em ações de empresas que apresentaram resultados ou projeções desfavoráveis, como a Advantest. O índice Nikkei 225 perdeu 145,84 pontos, ou 1,5%, e fechou aos 9.901,35 pontos. Foi a maior perda de pontos do índice desde 16 de junho.

"O mercado está dividido entre os que acreditam que um default dos EUA não vai ocorrer e os que apostam nessa possibilidade", disse o presidente da Investrust, Hiroyuki Fukunaga. "Sem boas notícias dos EUA, há uma tendência de os investidores favorecerem a realização de lucros."

Com a temporada de divulgação de balanços no Japão chegando ao pico, a atenção dos investidores se voltou para empresas que apresentaram resultados ou projeções ruins. As ações da Advantest, fabricante de dispositivos de teste de chips, caíram 6,9% com a fraca estimativa de pedidos, depois de uma queda de 57% no lucro operacional do primeiro trimestre em comparação ao do mesmo período do ano passado. Os papéis da fabricante de chips Elpida perderam 4,8%.

A companhia de automação industrial Omron viu suas ações despencarem 5,4% depois de anunciar um lucro operacional do primeiro trimestre dentro do esperado. No lado positivo, Hitachi Construction Machinery subiu 3,8% com resultados trimestrais sólidos e um aumento na estimativa de lucro operacional. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
Tóquiobolsaações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.