Tóquio perde 0,9% com realizações de lucros

O índice Nikkei 225 da Bolsa de Tóquio caiu 0,9% no pregão de hoje, para fechar aos 16.669,07 pontos. A queda foi provocada por movimentos especulativos de venda de contratos futuros e por realizações de lucros com ações que haviam sido adquiridas antes da temporada de divulgação dos balanços corporativos. De acordo com os operadores, disseminava-se no mercado a percepção de que alguns investidores haviam se precipitado nas últimas semanas, quando elevaram agressivamente os preços das ações ante a expectativa de fortes resultados das empresas no período julho-setembro. ?Os investidores estão um pouco mais cautelosos agora que saíram os balanços?, disse Motomi Hiratsuka, chefe de venda de ativos do BNP Paribas em Tóquio. ?Depois de compras causadas por rumores, agora há vendas baseadas em fatos.? O recuo do Nikkei 225 nesta sexta-feira assinalou o quinto pregão consecutivo em que o índice perde sustentação antes de alcançar os 16.900 pontos. Entre os operadores, isso alimentou a especulação de que o índice pode ter dificuldade para romper a barreira dos 17 mil pontos no início da próxima semana, como era esperado. Muitas companhias que ontem, após o fechamento da bolsa, divulgaram bons resultados trimestrais, hoje sucumbiram à realização de lucros. A Canon, que anunciou um aumento de 15% no lucro líquido acumulado no ano, viu suas ações perderem 2,4%. Desde o início do mês até ontem, os papéis tinham se valorizado 7,4%. Inversamente, as ações das empresas que anunciaram números fracos terminaram em alta, beneficiadas por não terem gerado grandes expectativas. A gigante de produtos eletrônicos Sony avançou 1,2%, apesar de divulgar uma queda de 94% no lucro líquido do segundo semestre fiscal, em comparação com o mesmo período do ano passado. A Nissan Motor teve ganho de 2,5%, a despeito do fraco resultado de suas vendas no trimestre. As ações da Myojo Foods subiram estratosféricos 16,4%, depois que a fabricante de macarrão recebeu uma oferta de compra por parte da firma de investimentos Steel Partners. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.