Tóquio recua 0,4% com iene, inflação e Sony

Mercado abriu em baixa depois da divulgação de que o núcleo (que exclui preços de energia e de alimentos) do índice de ao consumidor em abril teve alta de 0,6% sobre o mesmo mês do ano passado

Hélio Barboza, da Agência Estado,

27 de maio de 2011 | 07h59

A Bolsa de Tóquio fechou em queda, puxada pela cotação mais firme do iene e pela venda de ações da Sony, depois que a empresa divulgou enorme prejuízo trimestral e projeção decepcionante. O índice Nikkei 225 caiu 40,11 pontos, ou 0,4%, e fechou aos 9.521,94 pontos.

O mercado abriu em baixa depois da divulgação de que o núcleo do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) em abril teve alta de 0,6% sobre o mesmo mês do ano passado, a primeira elevação em mais de dois anos e em linha com a mediana das previsões de 12 economistas consultados pelas agências Dow Jones e Nikkei.

"O aumento do CPI veio mais do repasse da elevação dos custos das matérias-primas do que de um crescimento da demanda e isso pode afetar os gastos dos consumidores", disse Hideyuki Ishiguro, estrategista da Okasan Securities.

As ações da Sony também pressionaram para baixo o Nikkei, uma vez que seus fracos resultados na divisão de TV e a incerteza quanto aos custos ligados aos recentes ataques de hackers pesaram sobre os papéis da companhia. Depois do fechamento do mercado na quinta-feira, a Sony anunciou prejuízo líquido de 388,80 bilhões de ienes (US$ 4,795 bilhões) no quarto trimestre fiscal e de 259,59 bilhões de ienes (US$ 3,205 bilhões) no ano fiscal encerrado em março. A empresa também avisou que sua divisão de TV deverá registrar prejuízo pelo oitavo ano seguido. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasTóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.