Tóquio se recupera e fecha em alta de 1,1%

Compras seletivas ajudaram a Bolsa de Tóquio a recuperar parte das suas perdas de ontem e levaram o índice Nikkei 225 a fechar em alta de 1,1%, aos 16.860,39 pontos. A valorização do dólar e os ganhos de ontem em Wall Street também impulsionaram a bolsa japonesa. Diante da recente turbulência nos mercados, porém, muitos analistas recomendam cautela, alertando que a volatilidade deve continuar enquanto as ações estiverem na dependência dos movimentos da moeda e das bolsas norte-americanas. ?O Nikkei deve voltar ao nível dos 17 mil pontos em breve, mas os próximos meses serão de volatilidade?, adverte Toshihiko Matsuno, gerente geral assistente da SMBC Friend Securities. Ele chama a atenção também para a importância dos balanços corporativos que serão divulgados em abril. Entre as estrelas da sessão, Mitsubishi Heavy ganhou 9,1%, depois de anunciar ontem que recebeu a encomenda de dois reatores nucleares da TXU, uma operadora de usinas nucleares dos EUA. Já as ações da Hitachi subiram 5,3% após o jornal ?Nikkei? informar que a empresa ganhou um contrato para a construção de uma usina de gás natural na Tailândia. Os papéis do Softbank tiveram alta de 4,5% e fecharam a 2,89 ienes. O impulso veio do instituto de pesquisas Daiwa, que atribuiu às ações do conglomerado de telefonia móvel e Internet o nível 1 - o mais elevado na classificação do instituto. Citando os ganhos que a convergência de tecnologias pode trazer ao conglomerado, o Daiwa estimou que as ações podem chegar a 4 ienes. A corretora Nikko Cordial, por outro lado, teve perda de 0,3%. O Citigroup começou hoje a oferecer aos acionistas da Nikko o valor de 1,70 iene por ação, em uma oferta amigável pelo controle da corretora, que se envolveu em escândalos e quase foi excluída da bolsa. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.