Tóquio sobe 0,7%, estimulada por petróleo e montadoras

O setor de commodities, apoiado pela alta do petróleo, e o de automóveis, estimulado pelos resultados da Honda Motor, puxaram a alta de hoje da Bolsa de Tóquio. O índice Nikkei 225 subiu 0,7% e chegou a 16.811,60 pontos. A decisão do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), amplamente esperada pelos investidores, de manter as atuais taxas de juros naquele país, também ajudou o mercado japonês a apresentar tendência positiva. Após o fechamento da bolsa, um número considerável de empresas líderes divulgaria seus balanços trimestrais, relativos ao período de julho a setembro. Muitos investidores esperavam que esses resultados elevassem as projeções de ganhos das companhias e fizessem o Nikkei ultrapassar os 17 mil pontos muito em breve. ?O Nikkei pode facilmente tocar os 17.250 pontos até o fim do ano?, estimou Akio Yoshino, economista da Societé Generale Asset Management. No setor de commodities, as ações das companhias de petróleo subiram depois que a cotação do produto no mercado norte-americano voltou a ultrapassar a marca dos US$ 60 o barril. Inpex Holdings disparou 4,9%. No setor siderúrgico também houve ganhos: JFE Holdings ganhou 1,9% depois de aumentar sua estimativa de lucros e de a Goldman Sachs elevar para ?Neutra? a classificação dos papéis da companhia. Entre as empresas exportadoras, Honda Motor avançou 2,2% depois de ter anunciado, ontem, lucro recorde para o primeiro semestre fiscal. Toyota Motor aumentou 0,6%. No setor de produtos eletrônicos, porém, houve altas e baixas. As ações da Sharp caíram 0,2%, apesar de a empresa ter divulgado que o lucro antes dos impostos aumentou 25% e bateu recorde no primeiro semestre fiscal. Já os papéis da Toshiba avançaram 2,4%. Os investidores reagiram mal ao anúncio de que a empresa de crédito ao consumidor Takefuji adotará algumas medidas amargas, em mais um dia de más notícias para o setor. As ações da empresa terminaram em baixa de 3,1%; e as Credit Saison perderam 2%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

26 de outubro de 2006 | 06h43

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.