Tóquio supera os 15 mil pontos pela 1ª vez em 5 anos

Foram negociados 5,75 bilhões de ações no valor de 4,47 trilhões de ienes

15 de maio de 2013 | 08h21

As ações na Bolsa de Tóquio fecharam em forte alta nesta quarta-feira, 15, superando a marca de 15 mil pontos pela primeira vez em mais de cinco anos, com um novo avanço do dólar alimentando ganhos de exportadores em geral.

O índice Nikkei subiu 2,3%, para 15.096,03 pontos, após uma queda de 0,2% na sessão anterior. O índice não atingia a marca de 15.000 pontos desde 4 de janeiro de 2008. Além disso, o Nikkei subiu para o nível de fechamento mais alto desde o último dia de negociação em 2007.

Os níveis de participação foram bastante pesados, com 5,75 bilhões de ações negociadas no valor de 4,47 trilhões de ienes. Foi a segunda vez em três sessões que o volume superou a marca de cinco bilhões de ações.

Contas offshore de seis corretoras estrangeiras posicionaram ordens de compras líquidas para 21,2 milhões de ações japonesas no overnight, de acordo com traders, o maior montante desde 5 de abril, um dia após o Banco do Japão anunciar seu massivo programa de relaxamento quantitativo.

As ações saltaram desde o início, em resposta à contínua valorização do dólar em relação à moeda japonesa após superar o nível de 102 ienes. Além disso, os novos recordes das bolsas norte-americanas também ajudaram a fortalecer o sentimento do mercado local.

No fim da tarde em Tóquio, o dólar era negociado a 102,26 ienes, de 102,42 ienes no fim da tarde de terça-feira. "A contínua queda do iene, juntamente com uma perspectiva progressivamente melhor sobre a economia dos EUA, está atraindo os investidores individuais domésticos e estrangeiros para ações japonesas em um ritmo rápido", disse Tatsunori Kawai, estrategista-chefe da kabu.com Securities. "A tendência não mostra sinais de redução."

"Os grandes fundos de hedge estão saindo de contratos futuros de bônus do governo japonês e entrando em ações e futuros de ações", disse um diretor de operações de uma corretora estrangeira.

A Fast Retailing subiu para um novo nível recorde durante a sessão antes de se acomodar em um avanço de 2,1%. Outros pesos pesados também fecharam em terreno positivo. O SoftBank subiu 4,6% e a KDDI adicionou 3,6%. Exportadores se beneficiaram do iene mais fraco. A Tokyo Electron e Kyocera avançaram 4,0% e 4,1%, respectivamente.

A Sony avançou 10% em volume pesado depois que as ações da empresa subiram 9,9% em Nova York na esteira da proposta do fundo de hedge do bilionário Daniel Loeb de vender entre 15% e 20% do braço de entretenimento da Sony. O fundo de hedge Third Point, de Loeb, detém uma participação de 6,5% na Sony.

A Sony respondeu em um comunicado que as empresas de entretenimento não estão à venda. No ano fiscal recém encerrado, a divisão de filmes e música da Sony representaram cerca de 37% dos lucros operacionais, enquanto o seu principal braço de eletrônicos de consumo ficou no vermelho. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Tóquiobolsasfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.